Clique e assine a partir de 9,90/mês

Com Lula, Dilma diz que vencerão ‘a arbitrariedade e a injustiça’

Ex-presidente volta a dizer que foi vítima de golpe, que o PT tem responsabilidade com a democracia e que é dever lutar contra o retrocesso da gestão Temer

Por Da Redação - Atualizado em 10 maio 2017, 21h41 - Publicado em 10 maio 2017, 21h38

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) voltou a dizer, em discurso no centro de Curitiba, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi vítima de um golpe e que o objetivo daqueles que tomaram o poder é retirar direitos e promover o retrocesso no país.

“Agora mesmo, eles estão produzindo um retrocesso na Previdência que vai nos condenar a uma das mais perversas legislações para aqueles que trabalham a vida inteira e não vão ter condições de aposentadoria”, disse a simpatizantes na praça Santos Andrade, em frente à Universidade Federal do Paraná (UFPR). “É isso que eles [governo Michel Temer] querem. E é isso que não vamos deixar”, completou.

De acordo com ela, o “golpe” foi a condição que parte da classe política encontrou para implantar as reformas que estão tocando agora. “Eles perderam as eleições, aí perceberam que, para fazer o estrago que estão fazendo, tinham de dar um golpe. Mas nós temos responsabilidade com a democracia. A democracia exige que não deixemos dar esse golpe.”

Ao lado de Lula no palanque, ela defendeu o antecessor das acusações e, como ele, disse que as acusações são uma tentativa de tirá-lo do páreo nas eleições de 2018. “Eles querem inviabilizar a condição de cidadania para que nosso querido ex-presidente Lula se coloque para ser aceito ou não, votado ou não, pelo povo brasileiro.”

Continua após a publicidade

“Perder eleição não é vergonha, só é vergonha para golpista. Aqui está acontecendo uma cerimônia a favor da democracia. A força de vocês justifica a nossa luta, que vai derrotar o monstro da arbitrariedade e da injustiça”, afirmou.

 

Publicidade