Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Collor e Itamar vão trabalhar juntos em comissão

José Sarney (PMDB-AP) escolheu os dois e mais seis parlamentares para compor o grupo encarregado de trabalhar pela reforma política

Por Gabriel Castro 8 fev 2011, 12h49

Estão definidos os integrantes da comissão especial que vai discutir a reforma política no Senado. Entre os oito parlamentares, estão dois ex-presidentes: Fernando Collor (PTB-AL) e Itamar Franco (PPS-MG). Completam a lista José Pimentel (PT-CE), Walter Pinheiro (PT-BA), Roberto Requião (PMDB-PR), Aécio Neves (PSDB-MG), Luiz Henrique (PMDB-SC) e Francisco Dornelles (PP-RJ).

O grupo foi designado pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). E está encarregado de definir as prioridades da casa na discussão da reforma política. A comissão deve ser instalada ainda nesta semana e terá prado de funcionamento de 60 dias.

Comissões – A primeira comissão a funcionar na nova legislatura do Senado deve ser a de Constituição e Justiça (CCJ). O PMDB, dono da maior bancada, escolheu o nome de Eunício Oliveira (PMDB-CE) para presidir a comissão. A intenção dos líderes partidários é fechar a composição da CCJ ainda nesta terça, para que a comissão possa sabatinar o novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, nesta quarta-feira.

Já a briga entre PT e PSDB pela Comissão de Infraestrutura dá sinais de apaziguamento. Embora o senador Lindberg Farias (PT-RJ), que cobiça a presidência da comissão, afirme que o PT está disposto a disputar o cargo no voto com os tucanos, o líder petista no Senado, Humberto Costa, diz que o posto só sai das mãos do PSDB se houver acordo.

Pelo critério da proporcionalidade, a presidência da comissão pertence ao PSDB. Mas a regra permite que outro partido lance candidatura para o posto. O PT não quer deixar o cargo nas mãos da oposição e tenta costurar um acordo envolvendo o comando de outra comissão. Até agora, não houve avanços.

Continua após a publicidade

Publicidade