Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Chefe da campanha do PMDB é encontrado morto em Porto Alegre

Plínio Zalewski trabalhava pela eleição do vice-prefeito, Sebastião Melo. Na madrugada, comitê do adversário, Marchezan Jr, foi alvo de mais de dez tiros

Por Felipe Frazão Atualizado em 22 out 2020, 14h55 - Publicado em 17 out 2016, 15h59

Um dos integrantes da cúpula de campanha de Sebastião Melo (PMDB) a prefeito de Porto Alegre (RS), Plínio Zalewski, de 53 anos, foi encontrado morto na sede do partido nesta segunda-feira. A Polícia Civil e peritos estão no diretório do PMDB. As circunstâncias da morte ainda não estão claras. No mesmo dia, o comitê do adversário de Melo no segundo turno, Nelson Marchezan Jr (PSDB), foi alvo de tiros.

Plínio Alexandre Zalewski Vargas era um dos coordenadores do programa de governo de Sebastião Melo. O corpo teria sido encontrado no banheiro do diretório. O presidente do PMDB municipal, Antenor Ferrari, confirmou a morte. Ferrari e Melo suspenderam a campanha por um dia. “Estamos consternados pela trágica morte de um dos coordenadores da nossa campanha. As atividades estão suspensas até amanhã”, escreveu o vice-prefeito no Twitter.

Alvo de críticas em textos escritos por Zalewski, o tucano Marchezan Jr também lamentou a morte do peemedebista e suspendeu a campanha temporariamente “em solidariedade e respeito à família, amigos e ao PMDB”.

Torcedor do Internacional, Plínio Zalewski era ex-integrante do PT, servidor público do município e candidatou-se a vereador em 2012, já no PMDB. Ele não foi eleito. Zalewski Já havia trabalhado como assessor de outros parlamentares e ocupado cargos de direção na prefeitura.

Amigo de Zalewski, o advogado e professor universitário Wambert Di Lorenzo, vereador eleito pelo PROS, afirmou que o peemedebista “teve suas redes e e-mails invadidos, recebeu ameaças e sofreu forte pressão”.

Na madrugada desta segunda-feira, homens armados fizeram disparos contra o comitê da campanha do deputado Nelson Marchezan Jr (PSDB), adversário de Melo. Segundo integrantes da campanha, houve dois ataques, com mais de uma dezena de tiros contra a fachada envidraçada do edifício. Funcionários tiveram de se jogar no chão para escapar dos disparos.

Nota do PMDB de Porto Alegre

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), por seu diretório municipal de Porto Alegre, expressa profundo pesar pelo trágico falecimento do seu valoroso companheiro de lutas Plínio Alexandre Zalewski Vargas e solidariza-se com seus familiares, inúmeros amigos e companheiros de caminhada.

Continua após a publicidade

Plínio tem uma história dedicada ao desenvolvimento do Rio Grande do Sul, com especial foco na cidade de Porto Alegre, sendo reconhecido pelo seu trabalho comprometido e leal.

Atualmente contribuía de forma valorosa como um dos coordenadores do plano de governo da campanha de Sebastião Melo a prefeito de Porto Alegre.
O diretório municipal do PMDB, diante deste triste episódio, declara luto, suspendendo por 24 horas as atividades partidárias e eleitorais.

Antenor Ferrari
Presidente do diretório municipal do PMDB de Porto Alegre

Nota da campanha de Marchezan Jr

Na madrugada desta segunda-feira (17) o comitê e a equipe de campanha da coligação “Porto Alegre pra Frente” foram atacados a tiros em dois momentos diferentes por pessoas ainda não identificadas.

O primeiro episódio ocorreu por volta da meia noite, quando foram efetuados dois disparos contra a fachada de vidro do prédio. Naquela ocasião apenas um vigilante se encontrava no local. O registro de ocorrência foi efetuado e, quase uma hora e meia após o primeiro fato e quando havia cinco pessoas no local apurando os prejuízos, um novo ataque foi registrado, desta vez com mais de uma dezena de disparos contra a equipe que se encontrava no comitê. Estavam no local pessoas ligadas à coordenação da campanha e da equipe de vigilância, que precisaram se abrigar para não serem atingidas.

Todas as imagens das câmeras de segurança interna já foram remetidas aos órgãos de polícia e os envolvidos estão prestando as informações necessárias. Os fatos são gravíssimos e a coligação “Porto Alegre pra Frente” aguarda a elucidação do crime bem como reitera a sua confiança nos órgãos de segurança pública notificados desde a ocorrência dos fatos, como Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Federal.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês