Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Centrão age para adiar cassação de Eduardo Cunha

Grupo de parlamentares ligados ao peemedebista afirma que não haverá quórum suficiente para a votação da cassação em agosto

Apesar do discurso de pacificação, menos de uma semana depois da eleição do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara, a base aliada voltou a divergir sobre o melhor momento para levar ao plenário a cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). De um lado, os líderes do Centrão (PP, PSD, PR, PTB, PSC e partidos nanicos), grupo ligado ao peemedebista, são cautelosos e consideram que não haverá quórum suficiente para a votação em agosto, depois do recesso legislativo.

Do outro, os partidos do grupo de Maia – DEM, PSDB, PPS e PSB – afirmam que convocarão as bancadas para tentar assegurar um número mínimo para votar a cassação de Cunha em agosto. “O PSB vai cobrar presença, igual escolinha”, afirmou o líder do partido, Paulo Foletto (ES). “Virá todo mundo e terá quórum elevado”, disse o líder do PPS, Rubens Bueno (PR). Para ele, a ausência da maioria dos deputados neste período seria “desmoralizante”.

No meio da pressão, Maia afirmou nesta terça-feira, que poderá pautar o processo entre os dias 8 e 12 de agosto. “Na primeira semana acho difícil, mas a partir da segunda é possível. Eu só não quero dar data porque se não tiver quórum vocês vão ficar me cobrando que eu adiei a votação. Vamos ter uma noção melhor na primeira semana, como vai se construir o quórum para dar uma data objetiva”, disse.

LEIA TAMBÉM:
O DEM de volta ao poder
TVEJA: ‘Votação da cassação de Cunha não pode ter quórum baixo’, diz Rodrigo Maia

A primeira semana de atividades no Congresso vai coincidir com a realização das convenções partidárias, que definirão os candidatos para a disputa municipal. Outro fator que pode influenciar é o início da Olimpíada no Rio. “Não sei se vai ter quórum”, afirmou o líder do PTB, Jovair Arantes (GO).

“O presidente falou que se não tiver um quórum de 460, ele não vai colocar para votação [o processo contra Cunha]. É um risco, mas acredito que será votado”, considerou o líder do PR, Aelton Freitas (MG). O processo foi enviado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) à secretaria-geral da Mesa e não há prazo definido para que Maia dê início aos debates no plenário.

Outro item que deve entrar na pauta de votações da Câmara no segundo semestre é o projeto das 10 medidas de combate à corrupção encampadas pelo Ministério Público. Segundo Maia, a expectativa é de que as medidas sejam analisadas até 9 de dezembro, Dia Internacional contra a Corrupção. Ao receber um grupo de juízes e procuradores nesta terça-feira, Maia indicou que o tema será uma de suas prioridades. A comissão que vai analisar o pacote foi instalada na semana passada, quatro meses após a proposta ser apresentada. “Queremos estar até lá com a matéria votada”, disse o relator do projeto no colegiado, Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

 

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Nelson Marchetto

    ( De um lado, os líderes do Centrão (PP, PSD, PR, PTB, PSC e partidos nanicos), grupo ligado ao peemedebista, são cautelosos e consideram que não haverá quórum suficiente para a votação em agosto, ) Não haverá quorum, mas continuamos a pagar os salários deles e suas mordomias!!!

    Curtir

  2. Nelson Marchetto

    Complemento: É uma pouca vergonha, reforma urgente, fechamento de todos os partidos, acabar com essa bagunça, “centrão, meião, direitão , esquerdão”, só trabalham quando é coveniente para eles, então, só fechando tudo e começando de novo!!!

    Curtir

  3. Irlan Trajano

    Até quando essa cambada de salafrários vão estar a brincar com a paciência e a inteligência dos eleitores, não há nada que se possa fazer para esses crápulas pararem com essa masturbação político-partidária de quinta categoria e mandarem esse sujo embora de vez, por quanto tempo mais teremos de aguentar esses desmandos e essa desfaçatez amoral? Por que a imprensa não utiliza seu poder para mobilizar as massas e pressionar esses verdadeiros bandidos eleitos a expurgarem esse e outros cânceres que adoecem o Congresso Nacional, será possível que algum dia este país terá políticos sérios, empresários honestos e cidadãos confiantes em suas instituições políticas?

    Curtir

  4. João carlos

    São um bando de vagabundos.

    Curtir

  5. Mauro Cardoso

    O engocio e não votar em nenhum candidato do centrão nas próximas eleições (PP, PSD, PR, PTB, PSC e partidos nanicos) + PT assim conseguiremos mostrar o valor do voto

    Curtir