Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Campinas tem terceiro prefeito em dois meses

Pedro Serafim, presidente da Câmara Municipal, assume temporariamente a vaga, enquanto Hélio Santos é investigado por suspeita de corrupção

Por Adriana Caitano - 21 out 2011, 14h52

Tomou posse nesta sexta-feira o terceiro prefeito da cidade de Campinas, interior de São Paulo, em menos de dois meses. O vereador Pedro Serafim (PDT) assume temporariamente a vaga de Demétrio Vilagra (PT), afastado por 90 dias enquanto é investigado pela Câmara Municipal por irregularidades em contratos de prestação de serviços na Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa).

Os vereadores aprovaram o afastamento do prefeito na quarta-feira. A mesma decisão havia sido tomada no dia 24 de agosto, mas Vilagra recorreu à Justiça e conseguiu se manter no cargo. Agora, ele tem dez dias para apresentar defesa à Comissão Processante da Câmara. Em seguida, os integrantes da comissão têm cinco dias para decidir se arquivam a denúncia ou mantêm o processo de cassação contra ele.

No dia 20 de agosto, Vilagra substituiu o ex-prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT), cassado pelos vereadores por envolvimento no mesmo esquema de corrupção de que o petista é acusado. O caso é investigado pelo Ministério Público Estadual de São Paulo (MP-SP).

O MP denunciou a ex-primeira-dama e ex-chefe de gabinete da Prefeitura, Rosely Nassim Jorge dos Santos, mulher de Hélio Santos, servidores e empresários de Campinas por formação de quadrilha, fraude licitatória e corrupção. O ex-prefeito foi considerado omisso e negligente no caso.

Publicidade

Quem assume interinamente a presidência da Câmara Municipal de Campinas é o vereador Thiago Ferrari (PTB).

Publicidade