Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Caminho aberto para novas extradições

Por Da Redação 23 out 2015, 11h42

A consolidação da extradição do mensaleiro Henrique Pizzolato é comemorada pelo Ministério Público como o marco para o encerramento do julgamento do mensalão, mas também por abrir caminho para que outros criminosos sejam enviados ao Brasil para cumprir as penas a que foram condenados. O caso mais notório é o do narcotraficante holandês Ronald van Coolwijk, condenado pela Justiça do Espírito Santo a 20 anos de prisão por tráfico de drogas, em 1995. O processo de Van Coolwijk era analisado pela Itália, que, como se deu com Pizzolato, avaliava se o réu, ao ser enviado para presídios brasileiros, poderia “ser submetido a tratamento cruel, desumano ou degradante”. Nos últimos dias, porém, a Corte de Cassação de Roma concedeu a extradição do holandês. Basta apenas decisão do Ministério da Justiça da Itália para que ele cumpra pena em território brasileiro. (Laryssa Borges, de Brasília)

Leia também:

Pizzolato chega a Brasília para cumprir pena na Papuda

‘Prefiro morrer a cumprir pena no Brasil’, diz Pizzolato

Continua após a publicidade
Publicidade