Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Câmara escolhe novo ministro do TCU nesta quarta

Votos dos maiores partidos estão divididos entre Ana Arraes e Aldo Rebelo

Por Luciana Marques 21 set 2011, 07h52

A Câmara dos Deputados decide nesta quarta-feira quem vai ocupar a vaga de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), que ficará vaga com a aposentadoria de Ubiratan Aguiar. Dos sete candidatos, os mais cotados para assumir o posto são os deputados Ana Arraes (PSB-PE) e Aldo Rebelo (PC do B-SP). O PT decidiu deixar o voto em aberto, já que não há consenso entre os parlamentares. O mesmo ocorreu com o PSDB, depois que alguns deputados reclamaram da falta de acordo com o PSB para as eleições municipais de 2012, como moeda de troca para o voto em Ana Arraes.

O principal cabo eleitoral de Ana é seu filho, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Ele tem feito uma verdadeira campanha a favor da mãe em Brasília – o que tem gerado críticas por parte dos adversários na disputa. Apesar de toda a propaganda orquestrada por Campos – que está de olho em uma eventual candidatura para a Presidência em 2014 -, alguns tucanos reclamaram que ele não abriu brechas para futuras alianças com o PSDB. Diante do impasse, o líder do partido, Duarte Nogueira (PSDB-SP), decidiu liberar a bancada para votar.

O PMDB oficialmente apoia o deputado Átila Lins (PMDB-AM) ao cargo. Até o presidente em exercício, Michel Temer, confessou um apoio velado. Nos bastidores, os peemedebistas dividirão os votos também para Aldo Rebelo e Ana Arraes. A bancada peemedebista se reunirá às 8h30 desta quarta-feira para discutir o assunto. Outros partidos, como o PSDB, também marcaram reuniões para debater os nomes dos candidatos antes da votação, marcada para 9 horas no plenário da Casa.

Traição – Como a votação é secreta, eventuais “traições” são a maior preocupação dos candidatos. Às vésperas da votação, eles fizeram uma verdadeira campanha no Salão Verde: distribuíram panfletos, pediram votos e ofereceram almoços e jantares. A promessa de voto por parte de alguns parlamentares virou motivo de piada na Câmara. O deputado André Vargas (PT-SP) brincou sobre o tema durante a sabatina dos candidatos na Comissão de Finanças e Tributação na terça-feira: “Para quem eu prometi votos, está cumprido. Vou votar em todos vocês”.

Também são candidatos ao cargo Rosendo Severo, funcionário de carreira do TCU, e os deputados Damião Feliciano (PDT-PB), Milton Monti (PR-SP) e Vilson Covatti (PP-RS). O nome escolhido segue para votação no Senado. Para exercer o cargo vitalício de ministro do tribunal, o candidato precisa ter notório conhecimento jurídico, idoneidade moral e reputação ilibada. Três dos nove ministros do TCU são escolhidos pelo presidente da República, a partir de uma lista tríplice elaborada pela própria corte. As outras seis vagas são preenchidas pelo Congresso Nacional. O tribunal é responsável pela fiscalização contábil, orçamentária e patrimonial da União.

Continua após a publicidade
Publicidade