Clique e assine a partir de 9,90/mês

Câmara derruba liminar do STF que afastou Wilson Santiago

O deputado, que é investigado por superfaturamento de uma obra no interior da Paraíba, foi afastado em dezembro pelo ministro Celso de Mello

Por Roberta Paduan - 5 fev 2020, 22h47

O plenário da Câmara rejeitou agora à noite o afastamento do deputado federal Wilson Santiago (PTB-PB). Ele estava afastado do parlamento desde dezembro por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello.

Wilson Santiago é um dos investigados da operação Pés de Barro, da Polícia Federal, sobre superfaturamento em obras da adutora Capivara, no interior da Paraíba. De acordo com o Ministério Público Federal, o caso envolve crimes de peculato, lavagem de dinheiro, fraude licitatória e formação de organização criminosa.

Segundo a Polícia Federal, as obras, contratadas por 24,8 milhões de reais, geraram propinas no valor de 1,2 milhão de reais. Na mesma operação também foi preso o prefeito da cidade paraibana de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes (PSDB).

Com a votação de 233 votos a favor de sua reabilitação, Santiago poderá voltar a exercer seu mandato, do qual estava suspenso desde dezembro. Outros 170 deputados votaram por manter o afastamento do parlamentar. Para manter a decisão do ministro do STF, seriam necessários 257 votos a favor do afastamento.

Publicidade