Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Câmara aprova convocação de Gilberto Carvalho após conflito com índios

Ministro da Secretaria-Geral da Presidência terá de explicar aos deputados a dúbia política indigenista do governo que tem resultado em conflitos

Por Laryssa Borges Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
12 jun 2013, 13h30

A Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira a convocação do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, para explicar os conflitos e a dificuldade do governo em solucionar demarcações de terras indígenas no país. Como se trata de uma convocação – e não de um convite -, o ministro não pode se recusar a prestar esclarecimentos aos parlamentares. A data da audiência ainda não foi agendada.

Designado para ser o interlocutor com etnias indígenas, Carvalho é hoje o principal responsável pela política dúbia do governo, que tenta resolver a questão das demarcações de áreas, mas esbarra no ativismo da Fundação Nacional do Índio (Funai) e no PT. Na semana passada, após conflitos em Mato Grosso do Sul e a pressão de indígenas que viajaram a Brasília por conta do governo para protestar, a presidente – e militante – da Funai, Marta Azevedo, deixou o cargo.

Leia também:

A dúbia política indígena que pressiona o governo

Continua após a publicidade

Nesta quarta-feira, em visita à Câmara dos Deputados, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que o governo considera inconstitucional a proposta de emenda à Constituição que retira o poder da Funai e do Poder Executivo de promover a demarcação das reservas no país.

“Queremos iniciar um processo amplo de negociação em que todas as teses e questões serão colocadas. Tenho absoluta convicção de que, se não houver uma pactuação em torno da questão das terras indígenas, nós não vamos conseguir resolver problema nenhum. Queremos o entendimento feito com paz, sem violência, que pode gerar a possibilidade definitiva desse impasse”, disse Cardozo.

Reinaldo Azevedo: o nome do problema é Gilberto Carvalho

Código Florestal – A comissão também aprovou requerimento para que a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, preste esclarecimentos sobre a regulamentação da lei do novo Código Florestal. Ela deverá participar de uma audiência no dia 3 de julho em sessão conjunta das comissões de Agricultura e do Meio Ambiente.

Continua após a publicidade

O autor do requerimento foi o deputado federal Valdir Colatto (PMDB-SC), que cobra esclarecimento do governo sobre a criação de dois novos instrumentos criados pelo governo, o Plano de Recuperação de Área Alterada ou Degradada (Prada) e o Comprovante de Regularidade Ambiental (CRAm). Segundo Colato, os dois instrumentos são ilegais e não estavam previstos na lei do Código Florestal.

A Comissão de Agricultura aprovou a sugestão do deputado Colatto, que pede que o Ministério do Meio Ambiente não publique a portaria que cria os novos instrumentos antes da audiência com ministra Izabella.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.