Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Caixa suspende pagamentos às empresas investigadas na Lava Jato

Em comunicado, banco afirmou ter suspendido pagamentos à IT7 e à Borhi/Lowe até que sejam concluídas as investigações

A Caixa Econômica Federal suspendeu os pagamentos de serviços prestados pela empresa de tecnologia IT7 e a agência de publicidade Borhi/Lowe. O banco decidiu não contratar mais os serviços dos dois fornecedores investigados na Operação Lava Jato até que sejam concluídas as investigações, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira pela assessoria de imprensa.

De acordo com investigações da 11ª fase da operação Lava Jato, batizada de A Origem, os contratos sob suspeita teriam favorecido o ex-deputado André Vargas (atualmente sem partido e ex-filiado ao PT). O Ministério Público Federal recolheu provas em quatro supostos esquemas nos quais Vargas teria usado o cargo público para obter vantagens de natureza pessoal. Entre eles, contratos fictícios de publicidade e na área de tecnologia da Caixa.

A estatal já tinha informado que abriu investigação interna para a apuração do caso. Segundo a Caixa, a comissão terá um mês para a realização dos trabalhos. “A Caixa Econômica Federal esclarece que nos relatórios da Polícia Federal e do Ministério Público, que deram embasamento à operação A Origem, não houve nenhuma indicação de prática de irregularidade pela Caixa ou por seus empregados”, diz a nota.

Nesta segunda-feira, o Ministério da Saúde se pronunciou publicamente sobre os contratos firmados entre a pasta e as empresas investigadas. O ministro Arthur Chioro afirmou que os contratos foram de fato cumpridos e que eventuais desvios ocorreram em repasses entre entes privados.

A instituição informou que enviou cópia dos processos de licitação dos fornecedores e dos contratos firmados à Polícia Federal, Ministério Público, Controladoria-Geral da União (CGU) e Tribunal de Contas da União (TCU). Segundo o banco, os cerca de 30.000 processos estão em “ambiente seguro e com acesso controlado”. O banco afirmou estar à disposição dos órgãos para os esclarecimentos necessários.

Leia também:

Petista comanda gerência da Caixa Econômica Federal que abasteceu Vargas

Lava Jato: agência suspeita tem mais de R$ 1 bi em contratos

Do mensalão à Lava Jato: os propinodutos com verba publicitária

(Com Estadão Conteúdo)