Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cabral recebeu ao menos R$ 2,7 mi em propina, diz MPF

O ex-governador do Rio de Janeiro foi preso preventivamente na manhã desta quinta-feira na 37ª fase da Operação Lava Jato

O Ministério Público Federal (MPF) afirma que foram colhidas provas que evidenciam que o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, preso preventivamente na manhã desta quinta-feira, recebeu ao menos 2,7 milhões de reais entre os anos de 2007 e 2011, da empreiteira Andrade Gutierrez, por meio de entregas de dinheiro em espécie, realizadas por executivos da empresa para emissários do então governador.

LEIA TAMBÉM:
Mulher de Cabral é alvo de condução coercitiva
Os rolos de Sérgio Cabral no comando do Rio
Justiça nega habeas-corpus de Anthony Garotinho

Com o aprofundamento das investigações da Operação Lava Jato no Rio, especialmente da Operação Saqueador e das colaborações de executivos das empreiteiras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia, revelou-se um amplo esquema de corrupção em decorrência do contrato celebrado entre a Andrade Gutierrez e a Petrobras para a realização de obras de terraplanagem no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Além das empreiteiras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia, outras empresas consorciadas para a execução das obras também teriam efetuado pagamentos de valores solicitados a título de propina que, inicialmente, atingem o valor de 224 milhões de reais.

As investigações apontam para a prática de corrupção na contratação de diversas obras, entre elas, a reforma do Maracanã para receber a Copa de 2014, o denominado PAC Favelas e o Arco Metropolitano, financiadas ou custeadas com recursos federais.