Clique e assine a partir de 8,90/mês

Bolsonaro reconduz Carlos Marun e deputado delatado ao conselho de Itaipu

Nomeações de ex-ministro de Temer e de José Carlos Aleluia (DEM-BA) foram publicadas no 'Diário Oficial da União'. Remuneração mensal é de R$ 27 mil

Por Da Redação - Atualizado em 16 Maio 2020, 12h02 - Publicado em 16 Maio 2020, 11h52

O presidente Jair Bolsonaro nomeou o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para o conselho de Itaipu Binacional, usina hidrelétrica que fica na fronteira entre Brasil e Paraguai. Também foram reconduzidos aos cargos de conselheiros o ex-ministro do governo Temer Carlos Marun e o ex-deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA), delatado pela Odebrecht.

Os postos têm remuneração mensal de cerca de 27.000 reais.

As nomeações foram publicadas em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) nesta sexta-feira 15, assinadas por Bolsonaro e por Bento Albuquerque. Além de Marun e Aleluia, foram reconduzidos aos cargos de conselheiros Célio Faria Júnior e Wilson Pinto Ferreira Junior, presidente da Eletrobras. As nomeações valem até maio de 2024.

Centrão

As reconduções ocorrem no momento em que o governo Bolsonaro tem se aproximado do Centrão, grupo informal composto por partidos como DEM, PP, PL, Republicanos, PTB, PSD e Solidariedade. A distribuição de cargos tem como contrapartida o apoio destas legendas ao governo. 

Ex-ministro da Secretaria de Governo do ex-presidente Michel Temer, Carlos Marun foi indicado ao cargo de conselheiro de Itaipu na gestão do emedebista, mas afastado em março de 2019. Marun foi o deputado federal que dançou na Câmara dos Deputados quando os parlamentares impediram o prosseguimento de denúncias contra Temer.

Ex-deputado federal, José Carlos Aleluia foi delatado, em 2017, pela Odebrecht. Ele é suspeito de receber 300 mil reais em caixa 2 nas eleições de 2010, além de doação legal de 280 mil reais nas eleições de 2014, segundo inquérito autorizado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na época no Supremo Tribunal Federal (STF).

Continua após a publicidade
Publicidade