Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bolsonaro receberá tratamento clínico conservador, diz boletim médico

Após exames clínicos, laboratoriais e de imagem, foi decidido que presidente ficará internado, segundo avaliação de equipe médica do Hospital Vila Nova Star

Por Da Redação Atualizado em 14 jul 2021, 23h06 - Publicado em 14 jul 2021, 21h46

Após passar por avaliações clínicas, laboratoriais e de imagem, a equipe médica do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, decidiu que o presidente Jair Bolsonaro vai permanecer internado e receberá um tratamento clínico conservador. Segundo boletim médico divulgado na noite desta quarta-feira, 14, a necessidade de uma cirurgia foi afastada em um primeiro momento. O texto é assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo (cirurgião-chefe), Ricardo Camarinha (cardiologista do presidente), Leandro Echenique (clínico e cardiologista), Antônio Antonietto (diretor médico do hospital) e Pedro Henrique Loretti (diretor-geral do hospital). Não foi informado por quanto tempo o presidente deverá permanecer internado.

O presidente foi internado nesta quarta no local para tratar um quadro de obstrução intestinal e foi transferido de Brasília para São Paulo para a realização de exames e avaliação da necessidade de uma cirurgia de emergência, o que foi descartado inicialmente.

Bolsonaro chegou a São Paulo por volta das 19h desta quarta no Aeroporto de Congonhas e foi de ambulância para o hospital onde atende o cirurgião gástrico Antonio Luiz Macedo, que cuida da saúde do presidente desde a facada sofrida por ele durante a campanha na eleição de 2018.

Confira a íntegra da nota:

“O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi transferido na noite desta quarta-feira para o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, após passar por uma avaliação no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, e ser diagnosticado com um quadro de suboclusão intestinal. Após avaliações clínica, laboratoriais e de imagem realizadas, o Presidente permanecerá internado inicialmente em tratamento clínico conservador”.

Continua após a publicidade
Publicidade