Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro nega a criação de novo imposto para igrejas

O presidente afirmou que foi 'surpreendido' com a declaração do secretário da Receita Federal Marcos Cintra à 'Folha de S. Paulo'

Por Giovanna Romano - Atualizado em 29 abr 2019, 11h58 - Publicado em 29 abr 2019, 10h23

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou na manhã desta segunda-feira, 29, que não haverá a criação de novos impostos para igrejas. “Fui surpreendido nesta manhã com a declaração do nosso secretário da Fazenda [Marcos Cintra]”, disse o presidente em um vídeo postado em sua conta oficial do Twitter. Ele acrescentou ainda que “nenhum novo imposto será criado”.

“Eu quero me dirigir a todos vocês dizendo que essa informação não procede e que, em nosso governo, nenhum novo imposto será criado, em especial contra as igrejas”, disse Bolsonaro. O tributo acabaria com a contribuição previdenciária que incide sobre a folha de pagamento.

Na manhã desta segunda-feira, 29, o jornal Folha de S.Paulo publicou uma entrevista com o secretário da Receita Federal Marcos Cintra em que ele afirma que até os fiéis da igreja deverão pagar o novo imposto, que simplificaria a tributação do país. “A base será universal, pega até a economia informal e as ações criminosas de contrabando. Todo o mundo vai pagar esse imposto”, declarou.

“Vou propor o fim de toda e qualquer imunidade ou isenção. Se ela for concedida, que seja uma escolha objetiva e paga pelo Orçamento. Não vou falar: ‘Vão comprar sem imposto’. Isso gera distorção. Precisamos acabar com os gastos tributários, que já bateram 400 bilhões de reais por ano. Oferecemos um terço da nossa arrecadação. É muito ineficiente”, disse o secretário.

Continua após a publicidade
Publicidade