Política

Bolsonaro leva facada em atentado durante campanha em Juiz de Fora

Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República, foi esfaqueado durante um ato de campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais na tarde desta quinta-feira, 6. O presidenciável foi atingido no abdômen e, levado para a Santa Casa de Misericórdia da cidade mineira, passou por uma cirurgia de cerca de quatro horas. Segundo a equipe médica que operou o candidato à Presidência, ele sofreu lesões nos intestinos delgado e grosso. O quadro dele é “grave, mas estável”. O suspeito do ataque, Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi preso e está custodiado em uma delegacia da Polícia Federal.

Após a operação, Jair Bolsonaro foi levado à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa. Ele já retomou a consciência e recebeu familiares e assessores. Os médicos esperam que ele passe pelo menos de sete a dez dias internado. Uma transferência ao Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, foi solicitada pela família do presidenciável e será analisada nas próximas horas, quando uma equipe do hospital paulistano chegará a Juiz de Fora.

João Pedroso de Campos
Assista à integra da coletiva de imprensa da equipe médica da Santa Casa de Juiz de Fora (MG)
João Pedroso de Campos
Equipe do Sírio-Libanês vai avaliar Bolsonaro De acordo com o médico Cícero Rena, coordenador-geral da Santa Casa de Juiz de Fora, a unidade vai receber, por volta de meia-noite, uma equipe médica do Hospital Sírio Libanês, de São Paulo. Ele explicou que a transferência de Jair Bolsonaro à capital paulista deve acontecer desde que seja do desejo da família e Bolsonaro tenha condições clínicas de ser transportado.
João Pedroso de Campos
Estado de Bolsonaro é “grave, mas estável”, diz cirurgião Na coletiva de imprensa da equipe médica da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora, onde o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi operado após ser esfaqueado, o cirurgião Luiz Henrique Borsato disse que foi identificada uma “volumosa hemorragia interna” dentro do abdômen do candidato, causada por uma “lesão muito profunda”. Segundo Borsato, o estado de saúde de Bolsonaro é “grave, mas estável” e ele deve permanecer hospitalizado por, no mínimo, um prazo de sete a dez dias. Borsato explicou que Jair Bolsonaro tem três perfurações no intestino delgado e “uma lesão grave” no intestino grosso, no cólon transverso. “Havia uma contaminação de fezes no interior da cavidade abdominal”, disse o médico. Sobre o período de recuperação, o cirurgião declarou que não pode ser específico, porque “está muito recente” e ponderou que “pode levar dias ou semanas”. “Nessas primeiras horas a recuperação tem sido muito satisfatória”, disse ele. O candidato se recupera da operação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.
João Pedroso de Campos
Marina, Alckmin e Ciro cancelam agendas As assessorias de imprensa de Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB), adversários de Jair Bolsonaro na corrida presidencial, suspenderam suas agendas de campanha nesta sexta-feira, 7. “Devido às circunstâncias excepcionais, Marina Silva não terá agenda nesta sexta-feira (07), até segunda ordem”, diz nota da ex-ministra. Alckmin, que visitaria a cidade de Guaratinguetá (SP), também adiou o compromisso, “em respeito ao deputado Jair Bolsonaro”. Ciro Gomes, que fazia campanha em Natal nesta quinta-feira, informou no Twitter que cancelou as atividades. “Desejo que ele se recupere, possa superar este momento e prontamente volte ao debate brasileiro”.
João Pedroso de Campos
Em recuperação, Bolsonaro pode perder restante da campanha no 1º turno Após ser operado, Jair Bolsonaro passa por um scanner para encontrar possíveis focos de hemorragia na região em que foi esfaqueado. A recuperação prevista para o caso do presidenciável é de 15 a 30 dias. Caso sua reabilitação demande o prazo máximo, o candidato do PSL teria que ficar em repouso até o fim do primeiro turno. A campanha na primeira parte da disputa vai até o dia 4 de outubro e a votação está marcada para o dia 7 de outubro.