Clique e assine com até 92% de desconto

Bolsonaro elogia ideia de Weintraub de reduzir verba a cursos de filosofia

Ministro cita o caso do Japão e disse que formação pode ser estudada desde que 'com dinheiro próprio'; presidente foi além e falou em cursos de 'humanas'

Por Da Redação Atualizado em 26 abr 2019, 18h41 - Publicado em 26 abr 2019, 08h18

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) elogiou nesta sexta-feira, 26, a posição do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de propor a redução dos investimentos em cursos de filosofia para priorizar áreas que, na visão dele, “geram retorno de fato”, como “enfermagem, veterinária, engenharia e medicina”.

A proposta de Weintraub foi anunciada na quinta, durante transmissão ao vivo pelo Facebook ao lado de Bolsonaro. O ministro não detalhou como isso funcionará, mas disse que os alunos atuais não serão afetados e adiantou se espelhar no Japão, país que tomou medidas semelhantes na área da educação.

“O Japão que é um país que está tirando dinheiro público, do pagador de imposto, de faculdades para a pessoa que já é muito rica, como, por exemplo, filosofia. Pode estudar filosofia? Pode, com dinheiro próprio.”

  • ‘Humanas’

    Ainda no exemplo japonês, Weintraub também mencionou sociologia como um curso que poderia ter investimento menor. Em sua mensagem no Twitter sobre o tema, Jair Bolsonaro foi além e incluiu a expressão “humanas” para mostrar que esse redirecionamento de gastos pode ser ainda mais amplo.

    “A função do governo é respeitar o dinheiro do contribuinte, ensinando para os jovens a leitura, escrita e a fazer conta e depois um ofício que gere renda para a pessoa e bem-estar para a família, que melhore a sociedade em sua volta”, escreveu, na rede social.

     

    Damares Alves

    O episódio 3 da série de podcasts Funcionário da Semana traz a história da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) – da sua atuação como assessora parlamentar à coleção de frases polêmicas no governo Bolsonaro que fizeram dela um trending topic constante nas redes sociais.

    Ouça:

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade