Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Bolsonaro diz que vai manter passaporte diplomático de Edir Macedo

Anúncio foi feito em transmissão ao vivo, em sua página no Facebook; Justiça do Rio suspendeu liminarmente portaria do Ministério das Relações Exteriores

Por Estadão Conteúdo - 18 abr 2019, 20h22

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, em uma transmissão ao vivo em sua página no Facebook, nesta quinta-feira, 18, que vai manter a emissão de passaporte diplomático para o líder da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, e a esposa dele, Ester Bezerra. Na terça-feira 16, a Justiça Federal do Rio de Janeiro suspendeu liminarmente a portaria do Ministério das Relações Exteriores que concedeu o documento oficial ao casal evangélico, apoiador do presidente.

“Nós autorizamos a renovação do passaporte, e será mantida, no que depender de mim, a renovação desse passaporte para ele e esposa, e ponto final”, disse o presidente.

Bolsonaro afirmou que a concessão a Macedo se encaixa nas regras oficiais de casos excepcionais, em que o passaporte é autorizado para pessoas que não são autoridades públicas, mas que desempenham papel de interesse nacional. “A exceção é muito bem vinda nesse caso”, disse.

Segundo o presidente, a discussão sobre o interesse do país no caso do casal da Universal é “demagogia pura e simples”. Ele citou que os governos petistas concederam o passaporte a eles pela primeira vez e que representantes de outras igrejas possuem o mesmo benefício, entre eles, a Igreja Internacional da Graça de Deus, a Assembleia de Deus, a Igreja Mundial do Poder de Deus e a Igreja Católica.

Publicidade

“Não é uma festa. É para quem precisa e viaja o mundo todo”, disse o presidente, citando benefícios como escapar de filas em aeroportos, facilidades no despacho de bagagens e a dispensa de visto em certos países.

Publicidade