Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro desconversa sobre ministro do Turismo: ‘Sem comentários’

Ao chegar ao Palácio da Alvorada, presidente rebateu perguntas sobre Marcelo Álvaro Antônio e questionou se não havia 'coisa boa' para poder comentar

Por Da Redação - 4 out 2019, 21h22

O presidente Jair Bolsonaro não respondeu, nesta sexta-feira, 4, se vai manter no cargo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, denunciado pelo Ministério Público de Minas Gerais por suposto uso de candidaturas de fachada para acessar recursos do fundo eleitoral no pleito de 2018.

Questionado sobre o ministro ao retornar ao Palácio da Alvorada, no fim da tarde, Bolsonaro repetiu três vezes “sem comentários” e reclamou da imprensa: “Não tem coisas boas para perguntar? ‘Ralo’ o dia todo e não tem uma coisa boa para perguntar?”.

Depois de conversar por cerca de 10 minutos com apoiadores na entrada da residência oficial, o presidente voltou a se dirigir aos jornalistas, mas para se justificar. “Pessoal, me desculpa aí. Eu estou com a cabeça quente”, declarou.

O ministro do Turismo foi indiciado pela Polícia Federal (PF) e denunciado pelo Ministério Público de Minas Gerais nesta sexta-feira, 4, por supostamente ter se beneficiado de candidaturas de fachada. “O presidente da República aguardará o desenrolar do processo. O ministro permanece no cargo”, disse mais cedo o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros.

Continua após a publicidade

Como revelou o Radar, Bolsonaro confidenciou a amigos, em setembro deste ano, que não demitiu o ministro por gratidão, por seu auxílio quando o então candidato à Presidência foi esfaqueado na campanha de 2018: “Me ajudou lá em Juiz de Fora”.

França

Na porta do Alvorada, o presidente afirmou que a imprensa “perdeu a oportunidade” de conversar com um casal de franceses que estava misturado entre os seus apoiadores. “Não queremos que o que está acontecendo lá (na França) aconteça no nosso país”, disse.

Na conversa com Bolsonaro, traduzida por um terceiro apoiador, os franceses criticaram o presidente da França, Emmanuel Macron, e a imigração islâmica ao País europeu, segundo pessoas que acompanharam o diálogo.

Os jornalistas e os apoiadores de Bolsonaro ficam separados por uma grande na entrada do Alvorada. O presidente costuma parar diariamente pela manhã e, às vezes, ao fim de tarde, no local para tirar fotos com seus fãs e responder a perguntas da imprensa.

Continua após a publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade