Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bolsonaro: Barroso não tem coragem moral e faz politicalha com a esquerda

Em conversa com apoiadores, presidente diz que ministro do STF que mandou abrir a CPI da Pandemia já defendeu terrorista e agora quer desgastar o governo

Por Da Redação Atualizado em 9 abr 2021, 10h16 - Publicado em 9 abr 2021, 10h12

O presidente Jair Bolsonaro, em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, na manhã desta sexta-feira, 9, atacou duramente o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, que determinou um dia antes que o Senado instalasse a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19, para investigar ações do governo no combate à pandemia.

Bolsonaro disse que a comissão é claramente contra a sua gestão, chamou a atitude de “politicalha” e afirmou que o magistrado faz “ativismo judicial”. Ele também questionou se o ministro teria “um pingo de moral” para mandar o Congresso instalar processos de impeachment contra os seus colegas do STF, já que há representações com esse teor tramitando no Legislativo.

“A CPI não é para apurar desvio de recursos de governadores, é para apurar, segundo está na ementa do pedido de CPI, omissões do governo federal”, disse Bolsonaro. “Uma jogadinha casada, Barroso e bancada de esquerda do Senado, para desgastar o governo. Eles não querem saber do que aconteceu com os bilhões desviados por governadores e alguns poucos prefeitos também”, acrescentou, em referência a questionamento que faz constantemente sobre o uso do dinheiro enviado pela União para estados e municípios durante a crise sanitária.

“Uma jogadinha casada, Barroso e bancada de esquerda do Senado, para desgastar o governo. Eles não querem saber do que aconteceu com os bilhões desviados por governadores e alguns poucos prefeitos também”

O presidente questionou se o ministro teria “coragem moral” para abrir processos contra os seus colegas da Corte. “Agora, detalhe, lá dentro do Senado tem processo de impeachment contra ministro do Supremo Tribunal Federal, tem ou não tem? Eu quero saber se o Barroso vai ter coragem moral de instalar esse processo de impeachment também. Pelo que me parece, falta coragem moral para o Barroso e sobra ativismo judicial”, afirmou. “Repito: se tiver moral, um pingo de moral, ministro Barroso, de abrir alguns dos processos de impeachment contra os seus colegas do Supremo Tribunal federal”, reforçou.

APOSTAS - Barroso: insistência com a juventude e previsão de voto facultativo -
O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, que determinou ao Senado a abertura de CPI para investigar o combate à Covid-19 Pedro Ladeira/Folhapress/.

Bolsonaro também enfatizou que esse não é o momento para abrir uma CPI contra o governo federal, nem de fazer política. “Não é disso que o Brasil (precisa), vivendo um momento crítico, pessoas morrem e o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado”, disse. “Use a sua caneta para boas ações em defesa da vida e do povo brasileiro”, acrescentou.

“Não é disso que o Brasil (precisa), vivendo um momento crítico, pessoas morrem e o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado”

O presidente ainda citou a atuação do ministro como advogado antes de virar ministro do Supremo. “Barroso, nós conhecemos o seu passado, a sua vida, o que sempre defendeu, como chegou no Supremo Tribunal Federal, inclusive defendendo o terrorista Cesare Battisti”, se referindo ao italiano que viveu no Brasil com status de exilado político, foi preso na Bolívia em janeiro de 2019 e extraditado para a Itália, onde é acusado de quatro assassinatos.

Continua após a publicidade
Publicidade