Clique e assine com 88% de desconto

Bolsonaro indica possível reeleição e diz que ‘todos votarão’ nele

Apesar de defender o fim da reeleição durante campanha que o levou ao Planalto, o presidente deu sinais de que pretende disputar um segundo mandato

Por Giovanna Romano - Atualizado em 20 jun 2019, 17h47 - Publicado em 20 jun 2019, 14h45

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) agradeceu nesta quinta-feira, 20, em Eldorado, no interior de São Paulo – cidade em que foi criado -, todos os votos que recebeu na eleição presidencial de 2018 e se mostrou otimista para a possibilidade de reeleição, afirmando que, “lá na frente”, todos votarão nele.

“[Eldorado] é uma prova viva de que todos nós podemos chegar no local que queremos e lutamos por ele. Eu quero mudar o Brasil juntamente com vocês. Meu muito obrigado a quem votou e quem não votou em mim. Lá na frente, todos votarão, tenho certeza”, disse Bolsonaro.

As imagens do discurso foram transmitidas ao vivo pelas redes sociais do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente. Bolsonaro foi ovacionado pelo público, aos gritos de “Mito!” e “Chupa petralha”, em referência aos militantes do PT. Em outro vídeo, o presidente aparece emocionado em um helicóptero antes de pousar em Eldorado.

Em entrevista exclusiva a VEJA, Bolsonaro afirmou que as chances de disputar a reeleição estão condicionadas a “uma boa reforma política” que, entre outras medidas, enxugaria o Congresso. “Se a gente fizer uma boa reforma política eu topo ir para o sacrifício e não disputar a reeleição. Porque um dos grandes problemas do Brasil na política é a reeleição. O cara chega ao final do primeiro mandato dele, ou ele quer continuar no poder, que lhe deu fama e prestígio, ou ele quer continuar porque se o outro, o adversário, assumir vai levantar os esqueletos que ele tem no armário”.

Publicidade

Apesar do discurso apontar para uma possível tentativa de obter o segundo mandato, Bolsonaro, durante sua campanha presidencial em 2018, defendeu uma reforma política, com o fim da reeleição e a redução do número atual de congressistas. “O que eu pretendo é fazer uma excelente reforma política, acabando com o instituto da reeleição, que começa comigo caso seja eleito”, declarou à época.

A emenda constitucional que passou a permitir a reeleição de presidente, governador e prefeito foi aprovada em 1997 pelo Congresso, em articulação para permitir, pelas urnas, a continuidade do mandato do então presidente Fernando Henrique Cardoso. Foi o que aconteceu na eleição presidencial do ano seguinte.

Evangélicos

Logo depois, Bolsonaro protagonizou a primeira aparição de um presidente da República na Marcha para Jesus, principal encontro evangélico do país, que ocorre na cidade de São Paulo. O evento, que começou no exterior na década de 1980, foi logo trazido ao Brasil. Acontece em São Paulo há 27 anos e reúne milhares de pessoas, de diversas denominações.

No evento, voltou a tocar no assunto da reeleição ao ser questionado por jornalistas. Disse que isso dependerá do que ocorrer neste mandato. “Se houver uma boa reforma política, eu posso até, nesse caldeirão, jogar fora a possibilidade de reforma política. Agora, se não tiver uma boa reforma política, se o povo quiser, estamos aí.”

Publicidade

Confira o discurso de Bolsonaro em Eldorado: 

Publicidade