Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Bolsonaristas desenterram ‘histórias contra Moro’ e miram ex-diretor da PF

Episódio de 2017 em que ex-juiz ignora Bolsonaro no aeroporto é reavivado para demonstrar suposta "arrogância" de Moro

Por Laryssa Borges Atualizado em 5 dez 2021, 12h13 - Publicado em 5 dez 2021, 12h12

Nos últimos dias, bolsonaristas se empenharam para reunir o maior número possível de histórias aparentemente desabonadoras contra o ex-juiz Sergio Moro em uma tentativa de demonstrar que o agora presidenciável seria “arrogante” e “traidor” e, portanto, não confiável para disputar a Presidência da República como representante da terceira via. Uma das principais histórias tem como pano de fundo informações colhidas pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, que era escrivão da Polícia Federal antes de enveredar pela carreira política.

O Zero Três tem municiado apoiadores do pai com a informação de que o delegado Maurício Valeixo, ex-superintendente da PF no Paraná, supostamente não era um nome bem visto na corporação e ainda assim Sergio Moro decidiu trazê-lo para o governo. O veto de Eduardo a Valeixo chegou aos ouvidos do presidente ainda no governo de transição, em 2018, mas não foi levado em conta, e o delegado virou diretor-geral da Polícia Federal enquanto Moro foi ministro da Justiça.

Depois de ter se posicionado contra a escolha – a pressão pela troca da chefia da PF foi uma frequente dor de cabeça para Moro no governo e o motivo pelo qual o ex-juiz da Lava-Jato deixou o bolsonarismo – Eduardo ainda reuniu informações de um encontro de Valeixo e Moro, também em 2018, quando o ex-magistrado, supostamente já sabendo das ressalvas impostas pelo filho do presidente, insistiu em negociar a nomeação do policial para a cúpula da Polícia Federal. Para bolsonaristas agora incomodados com a pré-candidatura de Moro ao Palácio do Planalto, o encontro reservado entre os dois e à revelia do presidente, em Curitiba, deve ser usado como munição contra o ex-juiz para classificá-lo como uma pessoa que entrou no governo sem fidelidade ao presidente e em busca de um suposto projeto pessoal.

Um aliado do círculo próximo do ex-capitão também tem reunido impressões sobre a persona de Sergio Moro e ressuscitado o episódio em que, em março de 2017, o então magistrado ignorou Bolsonaro no aeroporto de Brasília. Este aliado, presente durante a filmagem que mostra o então deputado tentando, em vão, puxar conversa com Moro, recentemente relembrou o caso ao presidente e disse que “desde aquela época” Moro aparentava “arrogância”. Bolsonaro assentiu.

Continua após a publicidade

Publicidade