Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

‘Blocão’ derrota governo e vai acompanhar investigação da Petrobras

Planalto tentou evitar a criação da comissão de investigação sobre caso de propina revelado por VEJA, mas deputados da base aliada insatisfeitos com a presidente Dilma Rousseff conseguiram a aprovação

Por Marcela Mattos 11 mar 2014, 21h01

Com o apoio de parte da base governista, a Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira a criação de uma comissão para acompanhar de perto as investigações sobre recebimento de propina pela Petrobras. Ao longo de todo o dia, o governo articulou para evitar a aprovação da proposta, mas, graças ao apoio de parte do chamado “blocão”, formado por deputados aliados ao governo insatisfeitos com a presidente Dilma Rousseff, a proposta feita inicialmente pela oposição foi aprovada por 267 votos favoráveis (dez a mais que o mínimo), 28 contrários e 15 abstenções.

Um grupo de congressistas vai à Holanda apurar a denúncia de que, conforme revelou reportagem de VEJA, funcionários e intermediários da Petrobras teriam recebido pelo menos 30 milhões de dólares, entre 2007 e 2011, para favorecer contratos com a empresa holandesa SBM Offshore – a maior fabricante de plataformas marítimas de exploração de petróleo do mundo. O esquema, relatado por um ex-funcionário do escritório da SBM em Mônaco, movimentou mais de 250 milhões de dólares e envolveu outros países, como Itália, Malásia e Iraque. Os documentos sobre o caso foram enviados ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos e ao Ministério Público da Holanda.

Leia ainda: CPI da Petrobras não é retaliação, diz líder do PMDB

Base forma ‘blocão’ e apoia investigação sobre Petrobras

A aprovação da comissão externa para o caso Petrobras foi o primeiro resultado prático do “blocão” – movimento de deputados para pressionar o Planalto articulado pelo PMDB. O grupo defende ainda para esta semana a convocação do ministro da Saúde, Arthur Chioro, para prestar depoimento sobre irregularidades na pasta.

Continua após a publicidade

“Havia um ambiente favorável para o requerimento. A presidente tem de ter humildade para reconhecer que fracassou [na articulação] e corrigir os problemas”, disse o líder do PSDB na Câmara e autor da proposta, deputado Antônio Imbassahy (BA). Para o presidente da Câmara, deputado Henrique Alves (PMDB-RN), a comissão externa servirá para “buscar uma resposta sobre a Petrobras”.

Apesar da vitória na votação, o “blocão” já dá sinais de arrefecimento: representantes do Pros e PDT, dois partidos integrantes do movimento, orientaram seus líderes a votar contra a matéria. Nesta terça, representantes do partido reuniram-se com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que tenta uma aproximação com os aliados do governo para enfraquecer o “blocão” e isolar o líder do PMDB, Eduardo Cunha. Os vice-líderes dos dois partidos, porém, participaram da reunião do grupo nesta tarde, quando foi feito um ato em desagravo a Cunha.

Leia mais:

Multas da Receita à Petrobras em 3 meses somam 8,7 bi de reais

Após balanço, ação da Petrobras tem menor valor desde 2005

As cinco informações que interessam sobre o balanço da Petrobras

Continua após a publicidade
Publicidade