Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Assessor foragido da Justiça atuava em esquema no Trabalho

Marcos Vinícius da Silva é apontado como operador de desvios de verba pública e foi exonerado em julho do gabinete do deputado Ademir Camilo (PSD)

Considerado foragido da Justiça, o assessor parlamentar Marcos Vinícius da Silva, o Marquinhos, é apontado como operador de dois esquemas desbaratados pela Polícia Federal nos últimos três meses. Ate julho, ele estava lotado no gabinete do deputado federal Ademir Camilo (PSD-MG), que o exonerou depois de as irregularidades virem à tona.

Deflagrada nesta segunda-feira pela Polícia Federal, a Operação Esopo aponta o envolvimento do assessor no desvio de recursos do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE). Segundo o inquérito, ele atuava junto a prefeituras do Norte de Minas Gerais para liberar pagamentos ao Instituto Mundial de Desenvolvimento e da Cidadania (IMDC), que estaria no centro das fraudes. Há indícios de que prefeitos recebiam propina para escolher a entidade e fazer os repasses.

Ademir Camilo disse que, se cometeu irregularidades, o assessor atuou de forma “autônoma”. Marquinhos foi exonerado do gabinete do deputado em 3 de julho, um dia após a PF deflagrar a Operação Violência Invisível, que desbaratou esquema de falsificação de precatórios judiciais federais e a venda desses títulos podres a prefeituras. Segundo os investigadores, o assessor era o responsável por contatar agentes políticos envolvidos, que recebiam suborno.

Leia também:

PF prende 22 pessoas por desvio de dinheiro público

Alvo de ação, assessor de ministro havia sido demitido por suspeita de fraude

Secretário do Ministério do Trabalho depõe na PF

(Com Estadão Conteúdo)