Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Assessor do Planalto que vazava dados privilegiados pede demissão

VEJA revelou que José Ricardo Antoni recebeu 25 000 reais para repassar informações confidenciais à agência de publicidade Borghi Lowe

Por Robson Bonin 30 jul 2016, 11h10

O assessor especial da Presidência da República, José Ricardo Antoni, pediu demissão do cargo. Reportagem de VEJA desta semana revelou que o servidor repassava informação privilegiada a uma agência de publicidade que ganhou vários contratos milionários durante o governo da presidente Dilma Rousseff.  Antoni era pago pelas “consultorias” .

Informado da reportagem, o presidente Michel Temer pediu explicações ao servidor, que admitiu que prestava serviços à agência e pediu demissão.

A edição de VEJA que chega às bancas neste fim de semana mostra que Antoni recebeu 25 000 reais para ajudar a agência Borghi Lowe a vencer a licitação para cuidar da conta publicitária da Caixa Econômica Federal. E-mails trocados entre os diretores da agência revelam que o Palácio do Planalto achacava empresários durante a campanha presidencial de 2014. Em poder da força-tarefa da Lava-­Jato em Curitiba, a mensagem obtida por VEJA é a evidência mais contundente até o momento de que o Palácio do Planalto atuou como uma central de arrecadação de recursos ilegais para o caixa dois do PT e, para tanto, constrangia graduados servidores públicos a trabalhar como achacadores.

Publicidade