Clique e assine com até 92% de desconto

Após ‘vaquinha’, Delúbio paga multa – e ajuda Dirceu

Petista conseguiu mais de 1 milhão de reais na campanha virtual; excedente deve ajudar a pagar as multas de José Dirceu e João Paulo Cunha

Por Laryssa Borges 31 jan 2014, 16h20

Depois de conseguir arrecadar mais de 1 milhão de reais por meio de uma campanha de militantes do PT na internet, o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares, condenado no julgamento do mensalão, depositou nesta sexta-feira 466.888,90 reais em juízo. O valor se refere à multa imposta a ele pelo Supremo Tribunal Federal (STF) como parte da condenação pelo crime de corrupção ativa.

O petista foi penalizado em oito anos e onze meses de prisão em regime fechado, mas recorre de uma parcela da sentença por meio de embargos infringentes. Atualmente, cumpre pena de seis anos e oito meses, em regime semiaberto, e trabalha na Central Única dos Trabalhadores (CUT), com salário de 4.500 reais.

Na “vaquinha” feita pela internet, Delúbio recebeu 1,013 milhão de reais – 600.000 reais foram depositados somente nesta quinta-feira.

O ex-presidente do PT José Genoino também conseguiu amealhar quase 700.000 reais para pagar sua multa por meio da “vaquinha” on-line – mais do que os 667.500 reais que devia.

O excedente da arrecadação dos dois petistas deve ser utilizado para pagar as multas impostas pelo STF ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e ao deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP). Os valores das sanções aplicadas aos dois mensaleiros ainda não foram atualizados pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal. Dos onze condenados que já foram notificados para pagar as multas, apenas Genoino e Delúbio quitaram os débitos.

O operador do mensalão, Marcos Valério, recorreu ao Supremo para tentar desbloquear uma de suas contas bancárias e saldar a dívida. O ex-deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) e o ex-assessor do extinto PL (atual PR) Jacinto Lamas pediram o parcelamento dos valores.

Continua após a publicidade
Publicidade