Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após rompimento, Dilma demite diretores indicados pelo PMDB

Exonerações dos dirigentes do Dnocs e da Companhia Nacional de Abastecimento foram publicadas hoje no Diário Oficial; objetivo é negociar as vagas com partidos aliados, como PP, PSD e PR

Depois da oficialização do desembarque do PMDB do governo Dilma, apadrinhados de peemedebistas começaram a perder cargos na administração pública. A presidente Dilma Rousseff demitiu nesta quarta-feira o diretor-geral do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), Walter Gomes de Sousa, e o diretor da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Rogério Abdalla. Ambos haviam sido indicados pelo PMDB, que rompeu oficialmente com o governo em uma reunião relâmpago na terça. As exonerações foram publicadas na edição desta quinta-feira do Diário Oficial da União (DOU).

A direção do Dnocs é um dos cargos de segundo escalão mais cobiçados na Região Nordeste. Sousa havia sido indicado para o posto pelo ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que entregou o cargo na segunda-feira. E Abdalla é apadrinhado político do vice-presidente Michel Temer.

Alves foi o primeiro ministro do PMDB a abandonar o governo Dilma após a decisão dos peemedebistas de deixar a base de apoio do governo. Os outros ministros do partido – Eduardo Braga (Minas e Energia), Kátia Abreu (Agricultura), Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), Marcelo Castro (Saúde), Helder Barbalho (Portos) – ainda resistem em deixar o Executivo.

Com as vagas agora abertas, Dilma busca negociar o espaço que era do PMDB com os demais partidos da base – principalmente PP, PSD e PR – para evitar que essas siglas votem a favor do impeachment. Além da Conab e Dnocs, já houve mudanças na Funasa. Na semana passada, Antonio Pires foi demitido do cargo de presidente. Pires era também ligado ao vice-presidente Michel Temer.

O Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira também traz publicada a exoneração de George Hilton do cargo de ministro do Esporte. Para ocupar o posto, interinamente, foi nomeado Ricardo Leyser Gonçalves, do PCdoB. A mudança foi confirmada ontem pelo Palácio do Planalto. George Hilton havia se desfiliado do PRB para continuar no ministério depois que a sigla decidiu romper com o governo, há cerca de 15 dias.

(Com Estadão Conteúdo)