Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após reunião com Guedes, Doria diz que ‘momento mais tenso passou’

Governador de São Paulo foi a Brasília participar de encontro de chefes dos Executivos estaduais com o ministro, para discutir reforma e pacto federativo

Por Guilherme Venaglia - Atualizado em 26 mar 2019, 17h33 - Publicado em 26 mar 2019, 10h12

Em Brasília para uma reunião extraordinária do Fórum de Governadores, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que o “o momento mais tenso” da crise entre o Palácio do Planalto e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), “passou”. O tucano voltou a defender a aprovação da reforma da Previdência, tema da exposição do ministro da Economia, Paulo Guedes, presente ao encontro.

“De ontem para hoje, o movimento foi de mais serenidade e bom-senso, do Executivo e do Legislativo. Temos que promover neste momento diálogo, equilíbrio, bom senso e serenidade”, disse o tucano, após deixar a reunião sediada pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

Doria saiu do encontro mais cedo – ele tem uma reunião em São Paulo para tratar da restauração do Museu do Ipiranga, ligado à USP e fechado desde 2013 –, mas disse que está comprometido em articular com deputados federais do estado a aprovação do tema. “A reforma é essencial para o Brasil, para os governadores e para os municípios”, afirmou o paulista.

A mudança no sistema de aposentadorias tem dividido os comandantes dos estados brasileiros. Em reuniões separadas, governadores das regiões do país tomaram posições distintas sobre a proposta: os chefes do executivo do Sul e do Sudeste defendem a proposta, criticada pelos do Nordeste.

No encontro de Guedes com governadores nesta terça-feira, uma outra pauta pode estimular a adesão destes à proposta do governo Bolsonaro: a revisão do chamado pacto federativo, promovendo um maior repasse de verbas federais aos estados e municípios, uma antiga demanda de prefeitos e governadores. À tarde, o ministro da Economia vai à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, em teste de fôlego para a reforma.

Entre os chefes dos Executivos estaduais, Doria tem se destacado por buscar um protagonismo na discussão sobre as mudanças no sistema de aposentadorias. No começo do ano, antes mesmo da apresentação da reforma, o governador paulista declarou apoio à recondução de Rodrigo Maia à Presidência da Câmara, alegando que o político era o melhor nome para a condução de um projeto para a área.

No último sábado, no auge da crise entre Maia e o presidente Jair Bolsonaro (PSL), Doria recebeu o deputado em sua casa para discutir a situação da reforma. Em entrevista coletiva ao fim do encontro, Maia acusou o entorno do presidente de estar direcionando críticas feitas a ele nas redes sociais, um dos principais motivos do desentendimento.

Continua após a publicidade
Publicidade