Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após recusa de Bolsonaro, Record cancela debate presidencial

Mesmo liberado pelos médicos que o atendem, postulante do PSL afirmou que se recusa a debater com 'poste' de Lula e não aceitou convite para encontro

Por Guilherme Venaglia - 19 Oct 2018, 18h07

A Record TV anunciou na tarde desta sexta-feira 19 que está cancelado o debate presidencial que a emissora exibiria no próximo domingo, dia 21. Segundo comunicado, “não houve acordo para que os dois candidatos participassem”. A Record informa que seguirá em contato com os partidos de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, PSL e PT, para tentar uma nova data até o próximo dia 25, último dia da campanha antes do segundo turno das eleições.

Bolsonaro e Haddad não debateram nenhuma vez nestas eleições. O capitão da reserva compareceu apenas aos dois debates do primeiro turno realizados antes do ataque a faca sofrido por ele no começo do mês passado, em Juiz de Fora (MG), quando o candidato oficial do PT ainda era o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que, preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, não pôde comparecer.

Desde então, o presidenciável do PSL passou cerca de um mês internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo e atualmente se recupera em casa, no Rio de Janeiro. Ele foi liberado para comparecer a debates pela equipe médica mas já afirmou também que se recusa a um encontro com Haddad por considerá-lo um “poste”de Lula. A recusa dos convites também foi confirma pelo presidente do partido, Gustavo Bebianno.

Em nota divulgada nesta sexta, a coligação “O Povo Feliz de Novo”, formada por PT, PCdoB e Pros, pediu às emissoras que mantenham os debates “por dever democrático”. “Esse compromisso com a democracia e com o processo eleitoral não pode ser fraudado pela recusa do deputado Jair Bolsonaro em debater olho no olho, diante da população. As emissoras de TV, que são concessões públicas, têm o dever, diante dos eleitores, de manter os debates programados, mesmo na ausência do candidato que foge do confronto e da verdade”, diz o texto.

Publicidade