Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após protestos, Bolsonaro sanciona lei que inclui autistas no Censo 2020

Presidente se irritou de manhã com manifestantes que cobravam a adoção da medida. Primeira-dama atuou para convencê-lo da importância da questão

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quinta, 18, o projeto de lei que torna obrigatória a inclusão de informações sobre pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Censo 2020. A pesquisa, produzida pelo IBGE, registra características e condições de vida da população brasileira.

A sanção à medida foi comunicada por Bolsonaro em seu perfil no Twitter. A decisão ocorre após o presidente ter se irritado durante a manhã com um grupo de manifestantes que se reuniu em frente ao Palácio do Alvorada, em Brasília, para cobrá-lo sobre a assinatura da lei. Ele vinha sinalizando desde a semana passada que poderia vetar o projeto.

Bolsonaro assinou a medida ao lado da primeira-dama, Michelle, e do apresentador Marcos Mion. A mulher do presidente fez pressão ao longo dos últimos dias para convencê-lo da importância do projeto. Já Mion, que é pai de um filho autista, foi até Brasília para se reunir com autoridades e impedir o veto.

Mion publicou no Instagram que esteve reunido por mais de quatro horas com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e com a presidente do IBGE, Susana Cordeiro Guerra. Na postagem, ele agradeceu à primeira-dama dizendo que, “sem ela, nada seria possível”.

Na última sexta-feira, 12, Bolsonaro havia publicado um vídeo em que a presidente do IBGE dizia que o Censo não possui critérios bem definidos para fazer um levantamento preciso sobre os autistas no Brasil. Na filmagem, ela defendia que os eventuais questionamentos sobre os autistas tinham de ser incluídos na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

Irritação

O presidente tinha até o dia 26 para decidir sobre a questão. Pela manhã, ao ser cobrado por manifestantes, Bolsonaro disse que o governo teria um gasto de 2 bilhões de reais por mês se os autistas, além de serem incluídos no Censo 2020, também recebessem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

“Quem paga a conta no final? Qual o grau do autismo para ver se merece um BPC no futuro? Fazer demagogia eu faço. Quer fazer igual o PT fazia? Então dá para todo mundo”, disse.

“A pessoa que vai fazer o Censo, qual é o preparo dela para dizer se essa é autista ou não? Vai acreditar ou não no pai? Confio em todo mundo, pelo o amor de Deus. Mas a partir do momento que se vislumbra essa possibilidade, vai ter gente que vai responder que sim”, afirmou o presidente.

Em determinado momento, Bolsonaro disse que iria parar de cumprimentar quem o aguarda, como tem feito normalmente, “enquanto tiver protesto”. Ele declarou, ironicamente, que sancionaria o projeto, mas que aumentaria a carga tributária para compensar. “Essas questões não são fáceis de resolver e causa desgaste. É pancada em cima de mim, como se eu fosse um homem mau.”

View this post on Instagram

Eu vim achando que era uma causa perdida, que o governo ia usar minha imagem para amenizar a decisão de não incluir o autismo no Censo, mas como disse em todos os vídeos: “Vou lutar até o fim”! Por todas famílias autistas! MEU PARTIDO É O AUTISMO! E pelas famílias eu vou até o fim. . Após 4 horas de reunião e muita discussão para todos os lados, com grandes inputs do Ministro da Saúde Mandetta, da Priscila da secretaria da pessoa com deficiência e da Susana presidente do IBGE, além de todos assessores, com uma atitude surpreendente o presidente @jairmessiasbolsonaro sancionou a lei que inclui dados específicos sobre autismo no Censo2020! Estou MUITO EMOCIONADO! Batalhei muito nessa reunião, nunca esmoreci, não cedi a controvérsia alguma por vcs, minha comunidade autista! E isso é apenas o começo! Agora o autismo entrou pela porta da frente e vou sempre representar a vontade da comunidade, acima da minha própria. . Um agradecimento muito especial à primeira dama @michellebolsonaro madrinha de todas causas que, sem ela, nada seria possível. . Mais uma vez eu repito: MINHA BANDEIRA É AZUL. MEU PARTIDO É O AUTISMO.🧩

A post shared by Marcos Mion (@marcosmion) on

(Com Estadão Conteúdo)