Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após liberação de recursos, Bezerra viaja para RJ e MG

Governo anunciou R$ 482,8 milhões para prevenção de desastres e recuperação de áreas atingidas. Dilma volta nesta quinta-feira de férias

Por Carolina Freitas - 5 jan 2012, 10h52

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra (PSB), inicia nesta quinta-feira uma cruzada para tentar limpar sua imagem e oferecer auxílio aos estados atingidos pelas chuvas desse verão. Bezerra leva no bolso uma polpuda verba de 443 milhões de reais liberada hoje pelo governo na forma de créditos extraordinários para a pasta. No total, a presidente Dilma Rousseff, anunciou 482 milhões extra, para ações de prevenção e de recuperação de áreas atingidas, que serão divididos entre os ministérios da Integração Nacional, da Defesa e da Ciência, Tecnologia e Inovação. Apenas para ações de Defesa Civil, o montante cedido por Dilma chega a 337 milhões de reais. Parte de toda a verba extra será distribuída entre os estados que solicitarem ajuda ao governo federal. Esse deve ser o caso do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, que serão visitados pelo ministro entre quinta e sexta-feira e que já registram juntos trezes mortos e mais de 30.000 desalojados pelas tempestades desde outubro. O roteiro de Fernando Bezerra começa nesta quinta pelo Rio de Janeiro, onde ele reúne-se com o governador Sérgio Cabral (PMDB), às 18 horas. Cabral vai apresentar a Bezerra um quadro da situação no estado, com notícias sobre as áreas mais críticas e sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Defesa Civil. Existe a possibilidade de os dois fazerem um sobrevoo na região noroeste do estado, a mais atingida pelas chuvas. No início da manhã desta quinta a situação piorou no Rio de Janeiro. A Barragem do Rio Muriaé, em Campos, rompeu e obrigou prefeitura a desocupar o bairro com 4.000 pessoas. As famílias estão sendo levadas para escolas e acampamentos. Há risco de outro rompimento, no Rio Paraíba do Sul, que pode alagar toda a cidade. Na sexta-feira, Bezerra embarca ainda pela manhã para Minas Gerais, onde se encontra com o governador Antonio Anastasia (PSDB), que o colocará a par da situação. A região mais afetada por lá é a Zona da Mata. A presidente Dilma Rousseff, por sua vez, decidiu encerrar as férias e voltar para Brasília nesta quinta, à tarde. A princípio, ela ficaria na Bahia até o dia 9 ou 10. Mesmo assim, a assessoria de imprensa da Presidência diz que não houve antecipação do retorno ao trabalho por causa da situação das chuvas. Favorecimento – Bezerra entrou na berlinda depois que veio à tona a notícia de que 90% dos gastos com prevenção de desastres do Ministério da Integração Nacional foram feitos em Pernambuco, terra natal do ministro. Chegou-se ao número considerando os valores efetivamente gastos pelo governo para os projetos – de um total de 28,9 milhões de reais para todo o Brasil, Pernambuco recebeu 25,5 milhões de reais. O ministro então interrompeu as férias e convocou uma entrevista coletiva, na quarta-feira. Leia também: Por que Bezerra tanto se preocupa com Pernambuco Para tentar se explicar, Bezerra citou outros números, o valor empenhado em ações de prevenção e destinado aos estados. Dinheiro empenhado não significa dinheiro gasto. Em 2011, o empenho total repassado à unidades federativas foi de 218 milhões. Disso, admitiu o ministro, 98 milhões de reais foram para Pernambuco, ou quase 50%. Ele justificou a liberação dizendo que o estado teve um dos maiores acidentes naturais da história do Brasil, com mais de 80.000 pessoas atingidas. Segundo Bezerra, a presidente Dilma Rousseff sabia de tudo.

Publicidade