Clique e assine com até 92% de desconto

Após encontro, teólogo diz que Lula continua ‘candidatíssimo’

Leonardo Boff visitou o ex-presidente na cela onde ele está detido, em Curitiba. Petista pode receber 'assistência espiritual' às segundas-feiras

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 7 Maio 2018, 21h04 - Publicado em 7 Maio 2018, 19h51

Após conversa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, o teólogo Leonardo Boff afirmou que Lula pediu para que ele passasse o recado de que continua “candidatíssimo”. Boff tentou visitar o ex-presidente em 19 de abril, mas o pedido foi negado.

“Diga aos jornalistas que sou candidatíssimo”, disse o ex-presidente a Boff, que é amigo de longa data do petista e se reuniu com ele por meia hora na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

“Se ganhar, vou não só repetir as aquelas políticas sociais que fiz, mas fazer com que sejam políticas de Estado, que entrem no Orçamento, que sejam o centro do poder econômico e político orientado para aqueles que sempre foram excluídos”, relatou o teólogo sobre a conversa com Lula.

Na semana passada, o ex-presidente foi autorizado a receber “assistência espiritual” às segundas-feiras, além de visitas de duas pessoas fora de seu círculo familiar de primeiro grau às quintas-feiras.

Após o encontro, Boff disse que Lula está “muito bem” e com entusiasmo para se manter na luta. Para ele, o ex-presidente “tem uma indignação justa, de quem sofre por causa de falsificações, distorções e mentiras com o objetivo de liquidar a candidatura dele e enfraquecer o mais possível o PT”.

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade