Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Após denúncias de espionagem, Dilma e Obama têm reunião na Rússia

Encontro aconteceu fora da programação do G20; há tensão entre os países por denúncias de que governo americano monitorou mensagens da presidente

Por Da Redação 5 set 2013, 18h23

A presidente Dilma Rousseff teve um encontro com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nesta quinta-feira, logo após a abertura do encontro do G20, em São Petersburgo, na Rússia. Tanto a Casa Branca quanto o Palácio Planalto confirmaram a reunião, que acontece em um momento de tensão entre os governos brasileiro e americano por denúncias de que comunicações privadas da presidente teriam sido espionadas pelos EUA.

“O presidente (Obama) se reuniu com a presidente Rousseff, do Brasil, hoje entre a primeira plenária do G20 e o jantar [em homenagem aos chefes de Estado que participam do encontro]”, disse uma nota da Casa Branca, sem dar mais detalhes do encontro. O Blog do Planalto divulgou no Twitter por volta das 18 horas: “A presidente Dilma Rousseff se encontrou, nesta quinta-feira, logo depois da abertura do #G20, com o presidente americano Barack Obama”.

Leia também:

CPI da Espionagem pede proteção a Greenwald e companheiro

Dilma quer fechar empresa que colaborar com espionagem

Continua após a publicidade

Furiosa – Uma fonte do governo brasileiro afirmou na quarta-feira que Dilma estava “furiosa” com as denúncias de que teria sido espionada pela Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA) e queria um pedido público de desculpas do governo americano. A presidente teria ameaçado, inclusive, cancelar a visita de Estado a Washington, marcada para outubro.

O Palácio do Planalto informou, na manhã desta quinta, o cancelamento da ida a Washington de uma equipe do governo para preparar a viagem da presidente, sem dar mais detalhes.

Antes do encontro dos presidentes, o vice-assessor de segurança nacional para Comunicações Estratégicas dos EUA, Ben Rhodes, havia reconhecido a importância dada pelo governo brasileiro a uma reunião com Obama para tratar das denúncias de espionagem. “Entendemos quanto isso é importante para os brasileiros”, disse. “Estamos concentrados em garantir que os brasileiros entendam exatamente qual a natureza do nosso esforço de inteligência. Então, temos o objetivo de resolver essas coisas numa base bilateral.”

As informações de suposta espionagem foram divulgadas no domingo por uma reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, feita com base em documentos vazados pelo ex-prestador de serviços da NSA Edward Snowden. A agência teria monitorado o conteúdo de e-mails, telefonemas e mensagens de texto de Dilma.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade