Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Após conflitos, PTB elege preso na Lava Jato para presidir o partido

Deputado estadual no Rio, Marcus Vinicius será o presidente nacional da sigla de Roberto Jefferson após destituição de Graciela Nienov

Por Caio Sartori Atualizado em 11 fev 2022, 15h15 - Publicado em 11 fev 2022, 14h48

O deputado estadual do Rio Marcus Vinicius foi eleito na manhã desta sexta-feira, 11, o novo presidente nacional do PTB. O partido, que tem servido de abrigo para bolsonaristas, vivia uma guerra interna que culminou na destituição da ex-presidente Graciela Nienov – que foi colocada no cargo pelo cacique Roberto Jefferson, mas depois passou a ser considerada uma traidora. Acusado de ataques às instituições democráticas, Jefferson está em prisão domiciliar. 

Marcus Vinicius usava, até pouco tempo, o nome político “Marcus Vinicius Neskau”. Hoje, porém, o site da Assembleia Legislativa e sua equipe de comunicação omitem o último nome. Em 2018, o deputado foi preso no âmbito da operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato que focou no suposto pagamento de propina a parlamentares fluminenses. Foi solto cerca de um ano depois; o mandato foi retomado em 2020. Segundo a investigação, ele recebia 50 mil reais mensalmente para aprovar projetos de interesse do então governador Sérgio Cabral (MDB). 

A eleição do novo presidente ocorreu nesta manhã. Marcus Vinicius está há mais de 25 anos no partido. À frente da sigla no comando nacional, diz agora que quer manter o diálogo interno e aumentar as bancadas estadual e federal. 

O PTB tem abrigado alguns bolsonaristas para a eleição deste ano. Um possível candidato a deputado federal pelo partido é Fabrício Queiroz, denunciado como operador das “rachadinhas” no gabinete do senador e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (PL-RJ). 

Em nota sobre a operação Furna da Onça, a assessoria de Marcus Vinícius afirma que “a própria Justiça reconheceu a arbitrariedade da sua prisão. O processo no TRF, por conta dos abusos cometidos, foi anulado. O deputado não é réu, e goza de plena liberdade.”

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)