Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

CPI da Pandemia aprova relatório final de Renan Calheiros por 7 votos a 4

Texto pede o indiciamento de 78 pessoas, entre elas o presidente Jair Bolsonaro, e 2 empresas por crimes relacionados à pandemia

Por Da Redação Atualizado em 27 out 2021, 06h43 - Publicado em 26 out 2021, 20h25

Após seis meses de trabalhos, a CPI da Pandemia no Senado votou nesta terça-feira, 26, o relatório final da comissão. O texto foi aprovado por 7 votos a 4. O documento do relator Renan Calheiros, que pede o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por nove crimes, ganhou novos investigados em sua versão final. O relatório teve a inclusão de mais dez nomes. Já durante a sessão, Renan aceitou o acréscimo de mais dois indiciados: o governador do Amazonas, Wilson Lima, e o ex-secretário estadual da Saúde, Marcellus Campêlo.

No começo da noite, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) pediu que o relatório deixe de pedir o indiciamento do senador Luis Carlos Heinze (PP-RS). Mais cedo, foi o próprio Vieira quem sugeriu incluir o nome de Heinze sob a acusação de disseminar fake news. O relator Renan Calheiros (MDB-AL) aceitou o pedido e retirou o nome do parlamentar bolsonarista. O relatório agora fica com 80 pedidos de indiciamento: 78 pessoas e duas empresas.

O texto aprovado pelos senadores tem 1.289 páginas e responsabiliza o presidente Jair Bolsonaro por considerar que ele cometeu pelo menos nove crimes. Agora os senadores planejam entregar o relatório ao procurador-geral da República, Augusto Aras, já nesta quarta-feira, 27.

Também está prevista nos próximos dias a entrega do documento ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o encaminhamento do parecer ao Tribunal Penal Internacional.

Continua após a publicidade

Publicidade