Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ana Arraes diz que fez campanha “limpa”

Eleita ministra do TCU pela Câmara, Ana recebeu ligação do ex-presidente Lula

Por Luciana Marques 21 set 2011, 14h17

A deputada Ana Arraes (PSB-PE), eleita nesta quarta-feira ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) pela Câmara dos Deputados, disse que fez uma campanha respeitosa e negou ter usado a máquina pública de Pernambuco a seu favor. “Não maltratei ninguém. Fiz uma campanha limpa. Não piso nos meus concorrentes, nem desmereço sua derrota. Espero que meus concorrentes respeitem a minha vitória”. Ana disse que passou vários finais de semana em Brasília trabalhando para a campanha e que sua eleição é prova de sua “força política”. Ela é a primeira mulher eleita para um posto no TCU na vaga da Câmara.

O deputado federal Aldo Rebelo (PC do B-SP), que ficou em segundo lugar, foi o único dos cinco derrotados a não cumprimentar Ana após a eleição. Após o resultado, o comunista deixou o plenário da Câmara, às pressas. Aos jornalistas, afirmou que respeita o resultado do pleito. “Não quero que fique a ideia de que há ressentimento. Respeito e cumprimento a eleição de Ana. Quem é candidato não deve se surpreender com o resultado”. Ana disse que iria “esperar” a iniciativa de Aldo de cumprimentá-la e que não haverá sequelas na relação entre eles.

Contas – Assim que o resultado foi divulgado, Ana recebeu telefonemas do ex-presidente Lula – que fez campanha a seu favor -, e do presidente do TCU, Benjamin Zymler. “O presidente do TCU disse que o tribunal me espera com muita honra e que acredita que farei um belo trabalho”, afirmou a deputada.

Ana também recebeu um telefonema de seu principal cabo eleitoral, seu filho e governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Sobre o julgamento de contas do estado, a deputada disse que estará impedida de analisar qualquer processo que envolva obras em Pernambuco. Prefeitos e vereadores acompanharam a votação ao lado de Ana na Câmara. Também estava presente outro filho da deputada, o escritor Antonio Campos.

Continua após a publicidade
Publicidade