Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Alvaro Dias sugere que PSDB desista de Alckmin por união do centro

O candidato pelo Podemos disse que a proposta de FHC é 'tardia' e que o partido do ex-governador de SP 'já perdeu quatro vezes para o PT e perderá a quinta'

Por Da Redação Atualizado em 22 set 2018, 19h15 - Publicado em 22 set 2018, 18h52

Alvaro Dias, candidato à Presidência da República pelo Podemos, sugeriu neste sábado que o PSDB deveria desistir da candidatura de Geraldo Alckmin ao Palácio do Planalto para que haja uma união dos candidatos de centro. A proposta foi apresentada na quinta-feira pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

“É um pouco tardia essa proposta. Louvo a preocupação com o futuro do país. Mas a primeira providência para que isso tivesse sucesso seria o PSDB renunciar à sua candidatura, o PSDB já perdeu quatro vezes para o PT e perderá a quinta, portanto é hora de oferecer espaço para outra alternativa. Se o PSDB quer unir o centro, desista da sua candidatura”, declarou o presidenciável em ato de campanha em Curitiba, capital do Paraná, que já governou.

Em carta aberta, FHC afirmou que “ainda há tempo de deter a marcha da insensatez”, pedindo a união dos candidatos “que não se aliam a visões radicais”. Sem citar nomes, o ex-presidente solicitou um acordo de apoio a quem “melhores condições de êxito eleitoral tiver” e alertou que, caso isso não ocorra, a “crise tenderá certamente a se agravar”. Neste sábado, após receber críticas de candidatos, FHC disse que sua carta se dirigia aos eleitores e não aos presidenciáveis.

  • Críticas duras

    Na capital paranaense, Dias participou de uma caminhada na região central até a Boca Maldita, conhecido ponto de atos políticos da cidade. Em seu discurso, o presidenciável foi duro nas críticas, principalmente ao PT. “O Brasil não pode mais aceitar ser comandado por organizações criminosas. O Brasil não pode aceitar que um partido se transforme no PCC comandado de dentro do presidio, não pode aceitar um lançamento de candidatura à presidência na porta de uma penitenciária”, disse, em referência à transferência de candidatura petista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Fernando Haddad.

    Em entrevista, o candidato também criticou a polarização política, citando frase do Papa Francisco, segundo o qual as extremas direita e esquerda pregam que falam em nome do povo, mas, na verdade, não dialogam com a sociedade. “O Brasil vive uma crise de profundidade, quase que insolúvel, e fica imaginando que esse confronto da extrema esquerda com extrema direita levará o país a um porto seguro. Teremos tempo de sofrimento se o Brasil não acordar. Espero que a República de Curitiba acorde o Brasil nesse momento dramático”, disse Alvaro.

    Apesar de seu partido, o Podemos, estar coligado à candidatura de Ratinho Junior (PSD) ao governo do Paraná, Alvaro Dias afirmou que se manterá neutro na disputa estadual. “Aqui no Paraná meu voto ao governo é secreto”, declarou. Apesar da aliança formal com a sigla de Ratinho, o presidenciável conta com o apoio de vários políticos paranaenses que estão ao lado de outras campanhas, como da governadora Cida Borghetti (PP).

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade