Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aliado de Wagner é cotado para Justiça. Destino de Cardozo deve ser AGU

Substituição do atual ministro, que deixou a pasta em meio à pressão do PT para influenciar as investigações da PF, deve ser anunciada ainda hoje

Com sua saída do Ministério da Justiça dada como certa, José Eduardo Cardozo deve assumir a Advocacia-Geral da União (AGU). O anúncio deve ser feito ainda nesta segunda-feira. A presidente Dilma Rousseff está avaliando nomes para substituir o atual ministro, com quem se reuniu pela manhã, após a reunião de coordenação política, no Palácio do Planalto.

A expectativa é que Cardozo ocupe o lugar de Luís Inácio Adams na AGU. Como Adams já havia manifestado o interesse em sair, Dilma estava há algum tempo, segundo interlocutores da presidente, avaliando nomes para o cargo. Agora, com a saída iminente de Cardozo e sua ida para a AGU, a lista serviria possivelmente para encontrar o substituto de Cardozo.

Um dos cotados é o procurador e ex-chefe do Ministério Público da Bahia Wellington Cesar. O nome dele foi levado à presidente pelo ministro da Casa Civil, Jaques Wagner. O procurador esteve recentemente com Wagner, que tem dito que o currículo de Cesar é considerado “muito bom”.

Diante da possibilidade do aliado de Wagner assumir a pasta, delegados da Polícia Federal já se movimentam contra a nomeação, como informa a coluna Radar. Haverá uma reunião entre os diretores nacionais e regionais da associação dos delegados (ADPF), no próximo dia 8, para discutir medidas a serem tomadas contra a indicação. Homem de Lula no governo, Wagner assumiu a Casa Civil na reforma ministerial promovida pela presidente em busca de apoio político.

Cardozo decidiu deixar o governo justamente diante da pressão dos petistas para influenciar os rumos da Lava Jato, cada vez mais perto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

(Com agências Reuters e Estadão Conteúdo)