Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ala do PT diz que política do governo Dilma é ‘suicida’

Por Da Redação 7 Maio 2015, 16h53

A corrente interna do PT Articulação de Esquerda, de oposição ao campo majoritário do ex-presidente Lula, que comanda o partido, publicou nesta quinta-feira uma resolução com críticas diretas ao governo Dilma Rousseff por causa do ajuste fiscal e da pressão do Palácio do Planalto sobre os deputados para votarem a favor das medidas provisórias (MPs) que restringem acesso a direitos trabalhistas como o seguro-desemprego. O texto classifica diz abertamente que o governo Dilma “errou” e está “conduzindo o PT à derrota” com uma “política suicida” e de “ajuste fiscal recessivo”. “Os parlamentares que votaram ‘sim’ cometeram um gravíssimo erro, que contribui para o processo de autodestruição que está em curso em nosso partido. É preciso que se diga isto com clareza: a política adotada pelo governo e avalizada ativa ou passivamente pelo Diretório Nacional do partido está conduzindo o PT à derrota, nas ruas e nas urnas. Vivemos uma situação extraordinária, que exige atitudes extraordinárias. Os petistas têm o direito à rebelião contra esta política suicida”, diz trecho do documento. Segundo os dirigentes da Articulação de Esquerda, entre eles o historiador Valter Pomar, a direção nacional do PT apoiou as MPs de forma “envergonhada”, e os parlamentares votaram em “compungido silêncio”. Eles também reclamaram que o governo Dilma fez uma pressão sobre o partido que não faz com os demais da base aliada. “Como sempre, é exigido do PT aquilo que não se exige dos partidos da chamada base aliada: ordem unida”, afirmam. (Felipe Frazão, de São Paulo)

Publicidade