Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aécio reforça promessas que atendem pauta de Marina

Em Recife, tucano se compromete com demarcação de terras indígenas, fim da reeleição, reforma agrária e aumento do salário mínimo

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, fez um claro aceno neste sábado, em Recife, a Marina Silva, candidata derrotada do PSB, ao ler uma carta assumindo compromissos em áreas que a ex-senadora tinha apontado como essenciais para declarar apoio ao tucano. Em um discurso de quinze minutos, Aécio se comprometeu com a demarcação de terras indígenas, fim da reeleição, reforma agrária e aumento real do salário mínimo. Aécio disse ainda que vai transformar o Bolsa Família em programa de Estado.

O tucano não prometeu, contudo, retirar de seu programa de governo a proposta de redução da maioridade penal, como pedia Marina. Ele se limitoua dizer que vai criar medidas para “evitar que jovens se envolvam com violência”.

Leia mais:

Da maioridade penal ao meio ambiente: a lista de exigências de Marina para Aécio

“Eu hoje no Recife, e não por caso no Recife, apresento um documento de convergência”, disse Aécio. “Se eleito, quero ser o presidente da República dos mais pobres, daqueles que precisam das mãos do Estado.” O tucano classificou a aliança com o PSB como a “mais estratégica de todas”: “Traz o símbolo do que queremos. A capacidade de realizar os sonhos de Eduardo Campos”, disse. Sobre os ataques eleitorais do PT, respondeu: “A cada ataque, ofensa e calúnia, eu vou responder com propostas.”

O discurso foi feito durante encontro com movimentos sociais organizado pelo PSB de Pernambuco. Após o evento, Aécio vai almoçar com a viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos.

Do evento participaram o vice de Marina, deputado Beto Albuquerque, e políticos locais, como João Lyra Neto, governador de Pernambuco, Paulo Câmara, governador eleito pelo PSB, Geraldo Julio, prefeito de Recife, Fernando Bezerra Coelho, ex-ministro e senador eleito pelo PSB, e o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande. Os três filhos mais velhos de Campos também estavam presentes: Maria Eduarda, João e Pedro, além do irmão do ex-governador, Antônio Campos, e de Madalena Arraes, viúva de Miguel Arraes, avô de Campos.

“Acho que a fala dele e o documento apresentado são coerentes e profundos e dialogam com o pensamento da Rede e do PSB. Avança bastante”, disse Albuquerque, em referência à Rede, grupo político ligado a Marina.

Ele disse ainda que houve uma conversa direta entre Aécio e Marina, e que há uma expectativa de que ela anuncie neste domingo sua decisão sobre apoio no segundo turno. “Na ultima quinta-feira, foram apresentadas as propostas tanto do PSB quanto da Rede e eu acho que a fala dele responde com profundidade ao documento. Mais do que isso, assume compromissos com essas pautas.”

Albuquerque minimizou o fato de Aécio não ter assumido compromisso sobre a maioridade penal. “Não compromete. Não que não seja importante, mas não podemos ter a pretensão de achar que no segundo turno quem passou tenha que assumir 100% das nossas ideias”, comentou. “Agora a gente não acredita que esse não e o caminho (reduzir maioridade penal). Hoje 1% dos crimes brasileiros é cometido por menores. O que nós precisamos para os menores brasileiros é escola em tempo integral e não cadeia”, defendeu.

Após o encontro com movimentos sociais, Aécio seguiu para um ato público no Clube Internacional, mesmo local onde Marina Silva realizou seu primeiro comício como candidata à Presidência pelo PSB.