Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aécio intervém para tentar ‘salvar’ eleição em Minas

PSDB troca comando da campanha de Pimenta da Veiga ao governo mineiro, principal reduto do presidenciável; ordem agora é atacar o PT

A dianteira do PT em Minas Gerais, reduto eleitoral do presidenciável tucano, Aécio Neves, levou o PSDB a fazer uma intervenção no comando da campanha de Pimenta da Veiga, candidato ao governo estadual. O ex-secretário estadual de Governo, Danilo de Castro, principal articulador político de Aécio no Executivo mineiro, assumiu a coordenação política da campanha no lugar do deputado federal Alexandre Silveira (PSD).

Ao jornal O Estado de S.Paulo, Danilo de Castro disse que sua função será “dar um ritmo mais acelerado” à campanha de Pimenta da Veiga.

Andrea Neves, irmã do presidenciável e encarregada da comunicação da campanha nacional, também dedicará mais atenção à disputa local. Para os planos futuros de Aécio, que está em terceiro lugar na disputa presidencial, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira, o controle do governo mineiro é fundamental.

Danilo de Castro comandou as duas campanhas de Aécio e a de seu sucessor, Antonio Anastasia, ao governo nas eleições anteriores. A apreensão tomou conta do grupo de Aécio nesta semana após a pesquisa Ibope mostrar o petista Fernando Pimentel liderando a corrida com 37% das intenções de voto, 14 pontos porcentuais à frente do tucano. O candidato do PT cresceu 12 pontos porcentuais no período de um mês.

Em Minas, o Ibope mostrou também Aécio com 34% da preferência do eleitorado, em empate técnico com a presidente Dilma Rousseff, que aparece com 31% dos votos, enquanto Marina Silva (PSB) é apontada como preferida por 20% dos pesquisados. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Desembarque – Formalmente coligado ao candidato tucano, o PR liberou seus filiados a subirem no palanque de Pimentel, que recebeu também apoio de 18 prefeitos da sigla.

A ordem na campanha de Pimenta da Veiga é intensificar os ataques ao adversário – que já foi aliado de Aécio na disputa pela prefeitura de Belo Horizonte, em 2008, quando o petista e o governador apoiaram a eleição de Marcio Lacerda (PSB). Um exemplo dessa linha são as declarações dadas por Pimenta durante a semana.

O tucano acusou Pimentel de “mentir” sobre a responsabilidade pelas obras do metrô de Belo Horizonte e citou o fato de três pessoas que trabalham para a campanha petista terem sido presas trocando cavaletes do PSDB por material do PT. “Alguém que manda roubar placas do adversário e alguém que tem mentido descaradamente não está apto a falar do meu comportamento”, disse. O PT rebateu condenando o que chamou de “jogo político rasteiro”.