Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aécio é ignorado em manifesto a favor de tucanos de SP

Artistas e intelectuais não citaram presidenciável em documento que declara voto em Alckmin e Serra. Evento foi organizado pela equipe do governador

Artistas e intelectuais ignoraram o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, no manifesto divulgado nesta segunda-feira em apoio às candidaturas de Geraldo Alckmin ao governo de São Paulo e a José Serra ao Senado. O documento foi lido durante um evento organizado pela equipe de campanha de Alckmin e alguns artistas e foi marcado para que a classe divulgasse o apoio a toda a chapa majoritária tucana. Apenas o governador e Serra estavam presentes no evento.

Leia também:

Aécio: Marina é “outro tipo de PT”

“Queremos declarar nosso apoio a José Serra para senador e ao governador Geraldo Alckmin como nosso candidato ao governo do Estado de São Paulo”, diz o texto lido durante um encontro realizado no cinema da Livraria Cultura, na Avenida Paulista. O manifesto menciona os tucanos paulistas quatro vezes e chega a citar até o ex-governador Mário Covas. O documento também continha demandas da categoria para o setor, como ampliar participação da sociedade civil na elaboração de políticas de cultura e de fortalecimento de projetos que já estão em andamento.

Ele foi elaborado por um grupo de artistas, dentre eles o maestro Amilson Godoy, que atribuiu a falha a um “erro de digitação”. “Foi um erro de digitação de quem datilografou o documento. O nome do Aécio tinha que estar lá”, disse Godoy, que leu o manifesto durante o evento ao lado de outros três artistas, a atriz Beatriz Segall, o artista plástico Gilberto Salvador e o diretor de teatro Sergio Ferrara. Segundo o maestro, os artistas devem fazer uma retificação e explicar o ocorrido à cúpula do PSDB. O local do evento estava enfeitado com material de campanha de Aécio, Alckmin e Serra. O mestre de cerimônias pediu voto aos três tucanos várias vezes. Alckmin e Serra também não se esqueceram de mencionar Aécio nos seus discursos e pediram votos para o correligionário.

Leia também:

Ato ‘apartidário’ no Rio tem palanque para Dilma e defesa da Petrobras

Ao lado de artistas, Marina promete elevar os repasses para a cultura

Antes do início do evento, Beatriz Segall disse que não votará em Aécio e que apoia a candidata do PSB, Marina Silva. Beatriz também reclamou da postura dos adversários, que nas últimas semanas fizeram críticas a Marina. O encontro contou também com a presença do apresentador Rolando Boldrin, do maestro Júlio Medaglia e do cineasta João Batista de Andrade. No evento, Serra prometeu modificar a Lei Rouanet, mas evitou detalhar a proposta porque “poderia perder votos”. “Não vou abrir o jogo antes porque gera uma polêmica infinita”, disse. “É melhor tratar do assunto depois de eleito.”

(Com Estadão Conteúdo)