Clique e assine a partir de 8,90/mês

Aécio diz que PSDB vai à Justiça contra comando dos Correios

Tucano afirma que dirigentes da estatal cometeram crime ao não entregar material de sua campanha. E disse: 'PT quer vencer no grito, mas não vai'

Por Bruna Fasano - 1 out 2014, 15h55

O candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, Aécio Neves, afirmou nesta quarta-feira que vai à Justiça contra o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, após a divulgação de um vídeo em que um deputado petista afirma que a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) só chegou aos 40% de intenções de voto porque há “dedo forte dos petistas” na estatal.

Leia também:

Em Paraisópolis, Marina reforça tom emocional: ‘Sei o que é viver em favela’

“É absolutamente grave, é estarrecedor o que nós estamos vendo nessa campanha. Agora no meu Estado, Minas Gerais, depois das denúncias feitas por uma liderança do PT de que os Correios estavam privilegiando a campanha da candidata oficial, agora recebemos denúncias de que os Correios em Minas Gerais, durante toda a campanha, não cumpriram com sua responsabilidade. Cometeram um crime e não enviaram as correspondências de nossa campanha. Seja do nosso candidato Pimenta da Veiga, seja da nossa candidatura presidencial”, afirmou Aécio, durante visita à cidade de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo.

No vídeo, divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo, o deputado estadual mineiro Durval Ângelo (PT) diz: “Se hoje nós temos a capilaridade da campanha do [Fernando] Pimentel [candidato do PT ao governo de Minas] e da Dilma em toda Minas Gerais, isso é graças a essa equipe dos Correios”. Na gravação, o deputado afirma, ainda, que “a prestação de contas dos petistas dos Correios será com a vitória do Fernando Pimentel a governador e com a vitória da Dilma”. Todo discurso foi acompanhado pelo presidente dos Correios. Wagner Pinheiro estava sentado à mesa ao lado do deputado estadual petista e não o interrompeu em nenhum momento.

Leia também:

Correios contrariam norma e entregam santinho de Dilma sem controle

O tucano afirmou que as denúncias serão apuradas. “Não basta o que fizeram com a Petrobras. Agora, os Correios, uma empresa secular, respeitada por todos os brasileiros, que se submete ao comando do PT. Nós estamos entrando na Justiça, responsabilizando criminalmente desde o ministro responsável pela área como o presidente dos Correios e os superintendentes que participaram desse crime”, disse Aécio. “Centenas de pessoas já manifestaram que não receberam as correspondências da campanha e nós queremos a criminalização de todos os responsáveis por essa ação perversa, de um partido que não respeita a democracia, um partido que não respeita os adversários, um partido que quer vencer no grito. Mas não vão vencer no grito.”

O candidato, que ganhou fôlego nas pesquisas de intenção de voto, comemorou o resultado. “A nossa candidatura é a única que cresce em todas as regiões do país e vem crescendo de forma muito sólida. Estamos prontos para no dia 5 chegarmos ao segundo turno e vencermos o PT. Essa, a meu ver, é a razão maior do nosso crescimento”, disse Aécio, que ainda participou de uma caminhada no centro da cidade, acompanhado pelo governador Geraldo Alckmin, que concorre à reeleição. “Quero dizer aqui hoje que nós estaremos no segundo turno e, a partir do dia 6, de manhã, pronto para iniciar a nossa caminhada rumo à vitória”, afirmou o presidenciável tucano.

Continua após a publicidade
Publicidade