Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aécio afirma que PT sujou imagem da Petrobras

Pré-candidato tucano à Presidência cobra que Dilma 'devolva limpo' o uniforme da estatal, momentos antes de reunião com empresários na Firjan

O senador Aécio Neves, pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, cobrou nesta segunda-feira que a presidente Dilma Roussef “devolva limpo” o macacão da Petrobras. O tucano responsabilizou o aparelhamento do governo petista pelos episódios de má gestão da estatal. “Vi uma declaração dada pela senhora presidente da República em Pernambuco, acusando a oposição de ferir a imagem da Petrobras. Quem está sujando a imagem da Petrobras é o aparelhamento que o PT estabeleceu na empresa”, disse, momentos antes de uma reunião com empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Aécio também cobrou um pedido de desculpas da presidente. “Estamos vendo todo tipo de irresponsabilidades, com ex-diretor preso e a Polícia Federal tendo de entrar dentro da empresa. O caminho correto nesse instante seria a presidente da República pedir desculpas aos brasileiros, aos servidores da Petrobras, e aos trabalhadores que colocaram recursos do FGTS na empresa. Está na hora de a presidente da República devolver limpo o macacão da Petrobras”, afirmou.

Leia também:

PMDB do Rio prepara anúncio de apoio à candidatura de Aécio Neves

Campos anuncia Marina como vice na disputa presidencial

O senador respondeu à tentativa da presidente de menosprezar as suspeitas de irregularidades na estatal, e de tratar como “pontuais” os problemas das gestões durante os governos do PT. “Se ela considera que um diretor da empresa reconhecido como muito poderoso esteja hoje preso e com relações com doleiros para arrecadar recursos com fornecedores, vamos continuar defendendo a Petrobras. Isso não é pouco. A Petrobras é um patrimônio dos brasileiros”, disse Aécio.

Ele é o segundo pré-candidato à Presidência recebido na Firjan por empresários. O primeiro foi o ex-governador Eduardo Campos (PSB). O tucano disse que pretende receber contribuições e apresentar diagnósticos sobre a economia e questões sociais. Ele defendeu iniciar uma guerra ao “custo Brasil”, que encarece o custo de vida no país e afasta investimentos.

PMDB – Aécio tem, ainda esta noite, um compromisso com líderes peemedebistas no Estado. Um jantar organizado pelo presidente regional do partido, Jorge Picciani, deve anunciar o apoio do PMDB fluminense à candidatura tucana. O movimento – uma reação à decisão do PT de manter a candidatura de Lindbergh Farias ao Guanabara – enfraqueceu a candidatura de Luiz Fernando Pezão, atual governador, depois da renúncia de Sérgio Cabral.