Clique e assine com até 92% de desconto

Advogado de Eike afirma que não definiu estratégia de defesa

De acordo com Fernando Martins, advogado do empresário, não houve acordo com a Polícia Federal ou com o Ministério Público Federal (MPF)

Por Da redação 30 jan 2017, 08h36

O advogado de Eike Batista, Fernando Martins, disse que a estratégia de defesa do empresário ainda está indefinida, inclusive sobre uma possível delação premiada. “Ele estava em uma viagem a negócios (em Nova York). Só combinamos a sua volta e amanhã vamos conversar sobre a estratégia. Após a chegada dele é que vamos definir os procedimentos”, disse Martins neste domingo.

De acordo com Martins, não houve negociação com a Polícia Federal ou o Ministério Público Federal (MPF) na busca de melhores condições de detenção para o ex-bilionário. Eike não tem o ensino superior completo, por isso poderá ficar em um presídio comum. “Não houve negociação nenhuma. Isso (o presídio) fica a cargo das autoridades. Ele vai se apresentar e a Polícia Federal vai definir (seu destino)”, disse Martins.

  • Em entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo, Eike confirmou que vai chegar ao Brasil nesta segunda-feira pela manhã. “Eu tô voltando para responder à Justiça, como é meu dever. Tá na hora de ajudar a passar as coisas a limpo”, disse, enquanto aguardava um voo para o Galeão, na noite deste domingo, no Aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova York. “Estou à disposição da Justiça”, completou.

    Eike embarcou às 0h45 desta segunda-feira, horário de Brasília, em voo da American Airlines com destino ao Rio. O desembarque está prevista para as 10h.

    O empresário será detido assim que pisar no Brasil, já que teve a prisão decretada na quinta-feira  no âmbito da Operação Eficiência. A investigação apura esquema usado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral Filho (PMDB) e outros investigados para ocultar mais de 100 milhões de dólares remetidos ao exterior.

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade