Clique e assine com 88% de desconto

‘Acho que Doria não sairá do PSDB’, diz Rodrigo Maia

Para o presidente da Câmara, prefeito de São Paulo só será candidato se for pelo PSDB e com apoio do governador paulista, Geraldo Alckmin

Por Da redação - 11 ago 2017, 20h52

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse na tarde desta sexta-feira não acreditar que o prefeito de São Paulo, João Doria, deixe o PSDB para concorrer à presidência por outro partido em 2018. Doria tem intensificado viagens a outros estados para projetar sua imagem nacionalmente, enquanto mantém o discurso de que não disputaria prévias contra seu padrinho político, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pela candidatura do tucana ao Planalto.

“Sou amigo do Doria há muitos anos, mas acho que ele não sairá do PSDB. E, como eu acho que Doria é um cara sério, de palavra e leal, ele só será candidato se for candidato pelo PSDB com apoio do Geraldo”, afirmou Maia.

O jornal O Estado de S. Paulo publicou hoje que o presidente Michel Temer disse a João Doria que as portas do PMDB estão abertas caso o prefeito paulistano queira migrar a outra legenda para viabilizar uma eventual candidatura à presidência.

A reportagem também relata que o prefeito de São Paulo foi sondado por outros partidos, entre eles o DEM. Rodrigo Maia afirmou que não tem conhecimento da sondagem ao tucano. “Que eu saiba não”, respondeu, quando questionado sobre o assunto. “Não participei disso”, completou.

Publicidade

O presidente da Câmara declarou que o DEM deve aproveitar o momento de crescimento, impulsionado por sua própria eleição à chefia da Casa e pela perspectiva de aumentar a bancada com a migração de deputados de outros partidos, sobretudo o PSB.

 

A ideia da legenda, segundo Maia, é viabilizar uma candidatura própria à presidência. “Acho que o DEM tem que construir um projeto fora do PSDB”, disse ele, não descartando uma aliança em um eventual segundo turno “com eles ou com a gente”. O democrata negou, no entanto, que tentará se colocar como candidato da sigla ao Planalto. Seu plano é tentar as reeleições para deputado e presidente da Câmara.

Rodrigo Maia ainda afirma que o DEM deve pavimentar neste momento a construção de candidaturas a governador para que haja “aeroportos” a um eventual candidato presidencial do partido. A estimativa é eleger 12 a 14 governadores do partido em 2018. O principal nome seria o de seu pai, César Maia, vereador pelo Rio de Janeiro. “É para isso que estou trabalhando no Rio. Para que o DEM dê condições de viabilizar essa candidatura”, disse.

Publicidade

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade