Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘A verdade triunfou’, diz Maduro sobre soltura de Lula; veja repercussão

Pré-candidato à presidência dos EUA, Bernie Sanders afirma que petista ‘fez mais do que qualquer outro’; para Fernández, força do ex-presidente ‘comove’

Líderes políticos internacionais de esquerda recorreram às suas páginas nas redes sociais para apoiar a decisão judicial que soltou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na tarde desta sexta-feira, 8. Ele cumpria pena na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, desde abril do ano passado após ser condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pela Justiça Federal no caso do tríplex do Guarujá.

A Justiça acatou pedido da defesa do petista menos de 24 horas após maioria do STF (Supremo Tribunal Federal) mudar entendimento sobre a condenação em segunda instância e determinar que a execução penal ocorra somente após o trânsito em julgado, quando não cabem mais recursos da defesa no processo.

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, escreveu em sua conta oficial no Twitter que o processo judicial que levou a condenação de Lula foi “arbitrário” e que “comove a força de Lula para enfrentar essa perseguição”. “Sua força demonstra não só o compromisso mas também a imensidão desse homem”, acrescentou o peronista, que chegou a pedir a liberdade do ex-presidente brasileiro no dia da eleição presidencial argentina, em 27 de outubro.

A ex-presidente argentina Cristina Kirchner, eleita vice-presidente na chapa de Fernández, também celebrou. “Termina hoje uma das maiores aberrações de lawfare na América Latina: a privação ilegítima da liberdade do ex-presidente da República Federativa do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva”, tuitou Kirchner.

O senador americano e pré-candidato à presidência dos Estados Unidos Bernie Sanders publicou em seu Twitter que está feliz com a liberdade de Lula e que ele nunca deveria ter sido preso. “Como presidente, ele fez mais do que qualquer outro no Brasil pelos mais pobre e pelos trabalhadores”, escreveu.

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, fez o mesmo gesto. “Espero por ele o mais rápido possível em Paris, onde ele é Cidadão Honorário”, escreveu na rede social, fazendo referência ao título concedido pelo Legislativo local e sancionado por ela neste ano.

O Ministério das Relações Exteriores da Venezuela afirmou, via Twitter, que Nicolás Maduro “celebra a liberação” de Lula. Em sua conta oficial, Maduro escreveu que “a verdade triunfou no Brasil”. “Em nome do povo da Venezuela, expresso minha mais profunda alegria pela liberação de meu irmão e amigo Lula, que estará novamente nas ruas para liderar as causas justas dos brasileiros e brasileiras”, acrescentou.

Veja também

Já o ex-presidente do Paraguai Fernando Lugo, que sofreu impeachment em 2012, chamou Lula de “querido companheiro” e tuitou que “um julgamento político vergonhoso e 580 dias na prisão não puderam dobrar uma polegada de sua coragem e sua dignidade para continuar de pé ao lado de seu povo”. “O abraço de todos os povos latino-americanos para você e todos aqueles que lutam ao seu lado”, escreveu Lugo.

(Com Estadão Conteúdo)