Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“A marca do governo do PT é um escândalo por semana”, diz Aécio

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, fez um grande carreata na manhã deste sábado em seu berço político, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Em sua segunda visita a capital mineira em menos de três dias, o tucano comentou a denúncia feita por VEJA na edição desta semana que aponta que o PT teria pago propina a um grupo de criminosos para evitar que o nome do ex-presidente Lula e de outras lideranças do partido fossem associados ao megaesquema de corrupção na Petrobras. “É mais uma denúncia extremamente grave que tem de ser investigada em profundidade. A marca do governo do PT é essa, uma denúncia por semana. Cada uma mais grave do que a outra. O Brasil não merece viver com sustos como esse”, afirmou o tucano.

O candidato repetiu o ataque duplo feito às adversárias Marina Silva (PSB) e Dilma Rousseff (PT) na noite de sexta-feira, em sabatina na Rede TV!: “O governo não é local para aprendizado”. E continuou: “O Brasil não pode correr o risco de viver daqui a quatro anos a mesma frustração que está vivendo hoje com uma presidente da República que resolveu aprender no exercício do cargo.” Marina nunca exerceu mandato à frente do Executivo. Dilma nunca havia enfrentado uma eleição até ser eleita presidente. “Governar é muito mais do que ter boas intenções, até porque todos nós as temos”, disse Aécio.

Aécio fez um aceno enfático ao eleitorado mineiro, que o elegeu duas vezes governador e uma vez senador, mas, segundo pesquisas, nestas eleições não alavancou sua candidatura – ele está em terceiro lugar nas pesquisas no Estado, e seu candidato ao governo, Pimenta da Veiga (PSDB), em segundo, atrás do petista Fernando Pimentel. “Estou iniciando hoje essa caminhada na reta final da campanha extremamente otimista de que chegou a hora da grande virada, chegou a hora da onda da razão”, afirmou.

Durante mais de uma hora o presidenciável percorreu as ruas do centro de Belo Horizonte em carreata que contou com três carros de som e um gigantesco aparato de campanha. Esperando convencer o segundo maior colégio eleitoral do país, que equivale a 10,7% dos votos nacionais, o PSDB tem como questão de honra vencer no estado. “Vamos até o final buscando inspiração aqui, percorrendo Belo Horizonte. Temos certeza de que a virada começa em Minas Gerais”, afirmou o tucano.

Acompanhado por Antônio Anastasia, que concorre ao Senado, e por Pimenta da Veiga, Aécio cumprimentou eleitores e tirou centenas de selfies. No fim, na principal avenida da capital mineira, desceu do carro aberto e percorreu as ruas a pé, empunhando uma bandeira do Brasil.

Pela manhã, em um encontro reservado com a juventude do partido, prometeu, caso eleito, criar um fundo de promoção da igualdade racial e assinou um pacto pela juventude e pela igualdade racial. “Estamos lançando um conjunto de compromissos que visam permitir o combate sem tréguas a qualquer tipo de discriminação ou de racismo. Descriminação, qualquer tipo de descriminação e racismo é crime e deve ser punido como tal”, disse.