Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

A abordagem de Bolsonaro ao rival Moraes no jantar de Gilmar Mendes

Prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi alvo frequente das rodas de conversa entre os convidados

Por Laryssa Borges Atualizado em 24 jun 2022, 12h55 - Publicado em 23 jun 2022, 10h40

De todas as autoridades da República, poucas alimentam tantas críticas do presidente Jair Bolsonaro quanto o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Na noite desta quarta-feira, 22, ambos estiveram frente a frente em um jantar em homenagem ao decano da Corte Gilmar Mendes, na residência oficial do Presidência da Câmara dos Deputados, mas publicamente o ex-capitão explorou a rivalidade com o magistrado apenas no campo futebolístico. “O Alexandre é Corinthians e eu sou Palmeiras”, brincou o presidente ao avistar o ministro no evento. Alexandre apenas riu. O Palmeiras lidera o Brasileirão com 28 pontos, seguido de perto pelo time do algoz do presidente, que tem 25. Conforme revelou o Radar, na mesma noite ambos tiveram uma conversa reservada em um dos ambientes da residência oficial.

Apesar da aparente descontração e da recusa de ambos de tocar de público nos espinhosos temas que os colocam em lados opostos, como as investigações sobre fake news e financiamento de milícias digitais, no jantar em homenagem a Mendes um assunto em comum permeou as rodas de conversas de políticos e juízes: a prisão, na mesma manhã, do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro em uma operação da Polícia Federal que investiga corrupção, tráfico de influência e advocacia administrativa no MEC. O ministro da Justiça, Anderson Torres era questionado a todo momento sobre os fatos que levaram o ex-subordinado de Bolsonaro a passar a noite na cadeia. Um elemento específico intrigava os convivas: o depósito de 60.000 reais encontrado na conta do ministro, episódio que, conforme revelou o Radar, está no centro das apurações que alvejaram o ex-chefe da Educação. O presidente, disseram convidados a VEJA, não fez nenhuma defesa pública do pastor presbiteriano e deixou o local pouco antes das 22h30.

Entre os convidados do jantar na casa do presidente da Câmara Arthur Lira (Progressistas-AL) estavam o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), o deputados Aécio Neves (PSDB-MG), os ministros Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski, André Mendonça e Kassio Nunes Marques e o ex-ministro da Defesa e virtual candidato a vice de Bolsonaro Walter Braga Netto.


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)