Clique e assine a partir de 8,90/mês

Datafolha: 79% da população apoia punição a quem violar quarentena

As advertências verbais e multas são as formas mais aceitas, segundo pesquisa, enquanto a detenção é aprovada por apenas 3%

Por Da Redação - Atualizado em 18 abr 2020, 19h57 - Publicado em 18 abr 2020, 19h39

Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha nessa sexta-feira, 17, mostra que 79% dos brasileiros apoiam algum tipo de punição a quem violar regras do isolamento social. A pena de detenção, no entanto, é defendida por apenas 3% da população.

As advertências verbais são apontadas por 43% dos entrevistados como a melhor forma de punir os infratores, enquanto as multas são defendidas por 33%.

A conclusão, que revela indiretamente o alto nível de adesão dos brasileiros por medidas de isolamento, contraria os argumentos de Bolsonaro, que voltou a advogar pela volta à normalidade nesse sábado, apesar de o país ainda estar no início do surto de Covid-19 e ter passado a registrar mais de 200 mortes diárias nesta semana.

A pesquisa foi aplicada em 1.606 pessoas um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter demitido o ministra da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, substituído por Nelson Teich.

Mandetta teve seu desempenho no combate ao surto do novo coronavírus avaliado como ótimo ou bom por 71% dos entrevistados. O índice equivale praticamente ao dobro do obtido por Bolsonaro. O desempenho do presidente durante a crise é avaliado por 36% da população como ótimo ou bom.

As opiniões são mais divergentes sobre o que acontecerá daqui para frente, no combate à pandemia, com a troca do titular da pasta da Saúde. Para 32%, a situação irá melhorar, e 36% acreditam que irá piorar. Uma parcela de 20% avalia que não haverá mudança e a situação ficará igual, e 13% não opinaram.

Continua após a publicidade
Publicidade