Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Retrospectiva VEJA 2019 – Esporte

Thomaz Molina e Alexandre Senechal conversam sobre os principais fatos do esporte na quarta parte da retrospectiva 2019 de VEJA.

Por Da Redação Atualizado em 29 dez 2019, 09h00 - Publicado em 29 dez 2019, 08h00

Impossível não associar o ano de 2019 ao Clube de Regatas Flamengo. Em janeiro, o clube passou pela maior tragédia de sua história, com a morte de dez garotos das categorias de base em um incêndio no Ninho do Urubu. Mas esportivamente, o Flamengo ganhou quase tudo o que disputou: Libertadores, Brasileiro e Carioca. Nem a derrota para o Liverpool no Mundial de Clubes ou a eliminação frente ao Athletico na Copa do Brasil arranhou o trabalho do técnico português Jorge Jesus no comando do time.

Outro destaque no futebol foi o aumento da visibilidade às mulheres. Em ano de Copa do Mundo, o futebol feminino bateu recordes de audiência e ganhou transmissão em TV aberta. Os clubes tradicionais também aumentaram os investimentos na modalidade e viram um público maior nos estádios.

2020 é ano de Olimpíada e o Brasil vai a Tóquio com muitas expectativas de bons resultados. Além dos esportes coletivos, vale prestar atenção em alguns nomes que se destacaram em 2019: Nathalie Moellhausen, ouro na espada no Mundial de esgrima, Beatriz Ferreira, ouro na categoria até 60 quilos no Mundial de boxe e Arthur Nory, ouro na barra fixa no Mundial de ginástica. Além, é claro, dos brasileiros que vão representar o país nas modalidades estreantes surfe e skate.

Thomaz Molina e Alexandre Senechal conversam sobre os principais fatos do esporte na quarta parte da retrospectiva 2019 de VEJA.

Até o dia 31/12, teremos um episódio por dia contando como foi o ano nas mais diversas áreas. Você também pode ouvir pelo Google Assistente, usando o comando “ouvir retrospectiva”.

Continua após a publicidade
Publicidade